Maringá, 06 de Agosto de 2020
OdontoAtual Della Pizza
 
Untitled Document
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
 

VELHECER √Č MELHOR QUE MORRER JOVEM

O deputado federal Ricardo Barros, a maior lideran√ßa pol√≠tica da cidade e uma das maiores do Paran√°, com proje√ß√£o nacional destacada, faz aniversario hoje: cinq√ľenta anos, dos quais vinte e um dedicados s√≥ √† pol√≠tica.
Começou em 1988 já como candidato a prefeito.
Era o azarão do páreo.  Não tinha nenhuma chance de chegar à frente. 
Nas pesquisas iniciais tinha meio por cento de votos.  Fez uma campanha baseada em executar o projeto João-de- Barro, para construir casas populares e o passe integrado dos coletivos, onde se pagaria apenas uma passagem de ponto a ponto.
Soube aproveitar com maestria o tempo que o PFL (hoje DEM) possuía no horário gratuito de rádio e televisão e bateu forte nos dois projetos de governo.
Jovem, bem apessoado, bonito de aparência, conquistou o eleitorado, principalmente as mulheres e os jovens.
Ganhou a eleição no dia em que completava vinte e nove anos de idade.
O mais jovem dos prefeitos da cidade até hoje.
Foi um prefeito moderno, diferente, empreendedor.
Reduziu a equipe enorme de secret√°rios municipais para apenas cinco e um gerente que coordenava a todos na parte financeira.
Divulgou Maringá como ninguém  havia feito até então.
Como advers√°rio do governo estadual ‚Äď os dois com quem conviveu ‚Äď n√£o recebia nenhuma ajuda¬† e, por isso,¬† procurou apoio no governo federal.
Com a eleição de Fernando Collor em 1989, tornou-se amigo do presidente e conseguiu o que queria: recursos para todos os seus projetos.
Em quatro anos fez mais de quatrocentas obras.
Como elegeu apenas dois vereadores, criou uma maioria confort√°vel com o Grupo dos Treze, onde tinha maioria e aprovava ou rejeitava tudo o que queria.
Ademais foi extremamente correto com os adversários a quem chamava de concorrentes ao mesmo cargo.  Na sua gestão não houve perseguição e nem retaliação aos adversários.  Todos eram tratados como cidadãos. Com muito respeito.
Dentro da sua modernidade de governar, criou as Escolas e Creches Cooperativas, com um plano de gest√£o p√ļblico-privado que deu aos advers√°rios um mote para combat√™-lo na campanha de 1992. Era um projeto moderno e eficiente.
No inicio da gestão fez um aumento significativo nos impostos dos imóveis localizados na área mais valorizada da cidade e baixou para as classes sociais mais carentes.  Foi outro mote muito grande para seu principal adversário: Said Ferreira, o preferido nas pesquisas para sucedê-lo, o que de fato, aconteceu.
Em maio de 1992 convidou-me para ser o presidente do SAOP, cargo que estava vago h√° v√°rios meses.
Foi desafiador e incisivo:¬† ‚Äúvoc√™ queria ser prefeito para servir a cidade. Agora √© a hora de ajudar.¬† Venha participar deste final de governo.¬† Tenho uma miss√£o que vou passar pr√° voc√™: construir a segunda pista da Avenida Morangueira, transformar a rua Demetrio Ribeiro em avenida ligando a Herval √† Colombo e fazer da Lauro Verneck outra avenida ligando a Duque de Caxias a Colombo‚ÄĚ.
E mais: ‚Äúpelo menos deixar tudo pronto para que o Hospital Regional seja constru√≠do‚ÄĚ.
O hospital não conseguiu.  Pelo menos o projeto original foi aproveitado pelo Jairo e o HMM está funcionando. Com verba que ele conseguiu como deputado.
Tudo para ele era fácil.  Só não contava com a saída do presidente Collor. O dinheiro que sobrava para as obras parou de vez e nem sequer havíamos iniciado as obras nas avenidas.
Mas fomos à luta.
Com os recursos guardados e com a boa vontade de empreiteiros de asfalto ‚Äď destacando-se ai a Conterpavi ‚Äď conseguimos realizar todas as obras sem ficar devendo nada aos prestadores de servi√ßos e de obras.
Terminamos a Avenida Morangueira ‚Äď desde a Colombo at√© o trevo da Kakogawa ‚Äď no ultimo s√°bado do ano.¬†
Infelizmente n√£o pudemos fazer a inaugura√ß√£o.¬† Uma horda aliciada pelos seguidores do prefeito eleito, comandada pelo vice, fez piquetes, manifesta√ß√Ķes e impediu a solenidade que t√≠nhamos programado.¬† E n√£o foi s√≥ a da Morangueira: o mesmo ocorreu dias antes quando entregamos ao publico a Herval e a Duque ligadas √† Colombo, sem festa de inaugura√ß√£o.
O Ricardo sempre foi um chorão.  Emociona-se com facilidade e chora mesmo. De alegria ou de raiva.  Foi a primeira vez em que o vi chorando copiosamente.
Dias depois quando entregava o governo, chorou de¬† novo por duas raz√Ķes: a felicidade de ter realizado uma excelente administra√ß√£o e raiva pela postura de seguidores do sucessor, inventando uma fuga inexistente pela janela do gabinete do prefeito.
Em 1994 elegeu-se deputado federal.
Uma campanha difícil, sem dinheiro, sem estrutura, mas com uma equipe de voluntários grande e decidida. A sua determinação e o apoio decidido da sua mulher, Cida Borghetti, fez a diferença.
Foi reelegendo-se seguidamente. Com facilidade.
Galgou os degraus mais altos e, pela tenacidade, inteligência e dedicação, transformou-se numa das figuras mais respeitadas do Congresso Nacional.
Quando Fernando Henrique era o presidente acabou l√≠der do governo na C√Ęmara.
Com a eleição de Lula viu-se obrigado pelo seu partido a apoiar o governo e o PT que ele sempre combateu. Apoiava ou mudava de partido.
Virou vice-l√≠der do governo na C√Ęmara e soube como ningu√©m aproveitar do cargo para trazer recursos para Maring√° e demais cidades onde tem lideran√ßa.
Nunca a nossa cidade recebeu tanto dinheiro publico. Tornou-se a que mais recebeu, proporcionalmente, no Brasil inteiro.
Todas as obras de vulto da administra√ß√£o de seu irm√£o, o atual prefeito Silvio II ‚Äď rebaixamento da linha f√©rrea, vila ol√≠mpica, contorno norte, parque do Jap√£o, casas populares ‚Äst al√©m de outras de menor porte, s√£o feitas com o dinheiro que o Ricardo trouxe. E continua trazendo aos montes.
Seu pai, Silvio Barros, que foi vereador, deputado estadual, deputado federal e prefeito, dizia que seu nome - Ricardo ‚Äď era em homenagem ao Rei Ricardo, o cora√ß√£o de le√£o.
Nunca um nome caiu t√£o bem.
Dá para chamá-lo de coração de leão.
Ele sabe fazer acontecer. Em todos os sentidos.
Agora, ano que vem, quer ser senador.  Tarefa difícil.  Mais um desafio para o então menino que ousou um dia candidatar-se, sem nenhuma estrutura, ao cargo de prefeito da cidade onde nasceu.
Ricardo Barros é um bom sujeito.  Leal para com os amigos.  Sincero com ele  mesmo, não sabe ser demagogo.  Tem faísca adiantada.  Decide na hora todos os assuntos que lhes são propostos. Sabe valorizar os companheiros e, é por isso, que a leva de voluntários fieis permanece e aumenta a cada eleição.
H√° pouco tempo virou av√ī.
N√£o sabe conter a felicidade quando est√° com a neta.
Ricardo Barros, um bom sujeito.
Aliás, um ótimo sujeito.
Feliz cinq√ľenta anos, vov√ī Ricardo Barros.
 
COISAS DA VIDA I

Assistir programa eleitoral na TV d√° enj√īo na gente.¬† O dessa semana foi o do PTB.¬† Como os demais, s√≥ demagogia barata e promessas que jamais cumprem.¬† At√© o chefe do mensal√£o, Roberto Jeferson, que continua presidente nacional do partido, apareceu e defendeu coisas indefens√°veis. Que coisa mais rid√≠cula.

COISAS DA VIDA II

Roberto Requião machucou o pé quando o palanque em que se encontrava desabou em Paiçandu. Dizem que foi o peso do pecado do governador e dos demais presentes.  Ou a praga jogada pelos gays que se sentiram ofendidos por pronunciamento que fez dias antes.

COISAS DA VIDA III

Em São Paulo, a Marcha para Jesus, uma caminhada do povo evangélico pelas ruas da capital paulista, reuniu um milhão de pessoas.
No Rio de Janeiro a passeata publica dos gays e assemelhados, reuniu um milh√£o e duzentas mil pessoas.
Que coisa n√£o?

COISAS DA VIDA IV

A ministra Dilma Rousseff, que vai ser eleita presidente do Brasil no que vem, parece que aprendeu com o Luizinho a dizer besteiras e se desdizer pouco depois.¬† O apag√£o √© coisa que pode se repetir sim senhor. Mas ela, na √Ęnsia de ficar bem com o eleitorado, se esguia e fala bobagens dispens√°veis.
Afinal os beneficiados com a Bolsa Fam√≠lia chegam a mais de quinze milh√Ķes.

O MST recebe um bilh√£o por ano para fazer invas√Ķes e destruir propriedades produtivas.¬† Hoje tem mais baderneiros no MST que nas for√ßas armadas.
E vem aí outros benefícios que visam somente aliciar eleitores para elegê-la.
√Č por isso que, tenho certeza, ela ser√° eleita ano que vem.¬†

N√ÉO PERCA TEMPO; ESTEJA SEMPRE OCUPADO COM ALGUMA COISA √öTIL; ELIMINE TODAS AS A√á√ēES DESNECESS√ĀRIAS.

 
  
Os artigos, conceitos e opiniűes pessoais s„o de inteira responsabilidade do autor.
14.02.2016
Memórias de um bom sujeito
10.02.2016
Memórias de um bom sujeito
31.01.2016
Memórias de um bom sujeito
24.01.2016
Memórias de um bom sujeito
07.12.2015
Memórias de um bom sujeito
29.11.2015
Memórias de um bom sujeito
23.11.2015
Memórias de um bom sujeito
15.11.2015
Memórias de um bom sujeito
08.11.2015
Memórias de um bom sujeito
01.11.2015
Memórias de um bom sujeito
26.10.2015
Memórias de um bom sujeito
17.10.2015
Memórias de um bom sujeito
12.10.2015
Memórias de um bom sujeito
05.10.2015
Memórias de um bom sujeito
28.09.2015
Memórias de um bom sujeito
21.09.2015
Memórias de um bom sujeito
13.09.2015
Memórias de um bom sujeito
08.09.2015
Memórias de um bom sujeito
23.08.2015
Memórias de um bom sujeito
31.05.2015
Memórias de um bom sujeito
24.05.2015
Memórias de um sujeito
10.05.2015
Memórias de um bom sujeito
03.05.2015
Memórias de um bom sujeito
18.04.2015
Memórias de um bom sujeito
12.04.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
22.03.2015
Memórias de um bom sujeito
15.03.2015
Memórias de um bom sujeito
08.03.2015
Memórias de um bom sujeito
01.03.2015
Memórias de um bom sujeito
12.01.2015
Memórias de um bom sujeito
03.01.2015
Memórias de um bom sujeito
21.12.2014
Memórias de um bom sujeito
14.12.2014
Memórias de um bom sujeito
07.12.2014
Memórias de um bom sujeito
30.11.2014
Memórias de um bom sujeito
23.11.2014
Memórias de um bom sujeito
16.11.2014
Memórias de um bom sujeito
09.11.2014
Memórias de um bom sujeito
02.11.2014
Memórias de um bom sujeito
19.10.2014
Memórias de um bom sujeito
14.10.2014
Memórias de um bom sujeito
05.10.2014
Memórias de um bom sujeito
29.09.2014
Memórias de um bom sujeito
14.09.2014
Memórias de um bom sujeito
07.09.2014
Memórias de um bom sujeito
31.08.2014
Memórias de um bom sujeito
26.08.2014
Memórias de um bom sujeito
17.08.2014
Memórias de um bom sujeito
11.08.2014
Memórias de um bom sujeito
03.08.2014
Memórias de um bom sujeito
20.07.2014
Memórias de um bom sujeito
12.07.2014
Memórias de um bom sujeito
06.07.2014
Memórias de um bom sujeito
30.06.2014
Memórias de um bom sujeito
22.06.2014
Memórias de um bom sujeito
17.06.2014
Memórias de um bom sujeito
10.06.2014
Memórias de um bom sujeito
01.06.2014
Memórias de um bom sujeito
25.05.2014
Memórias de um bom sujeito
14.05.2014
Memórias de um bom sujeito
04.05.2014
Memórias de um bom sujeito
27.04.2014
Memórias de um bom sujeito
20.04.2014
Memórias de um bom sujeito
13.04.2014
Memórias de um bom sujeito
06.04.2014
Memórias de um bom sujeito
30.03.2014
Memórias de um bom sujeito
25.03.2014
Memórias de um bom sujeito
20.03.2014
Memórias de um bom sujeito
17.02.2013
Memórias de um bom sujeito
30.12.2012
Memórias de um bom sujeito
18.11.2012
Memórias de um bom sujeito
11.11.2012
Memórias de um bom sujeito
06.11.2012
Memórias de um bom sujeito
28.10.2012
Memórias de um bom sujeito
23.10.2012
Memórias de um bom sujeito
14.10.2012
Memórias de um bom sujeito
30.09.2012
Memórias de um bom sujeito
25.09.2012
Memórias de um bom sujeito
16.09.2012
Memórias de um bom sujeito
09.09.2012
Memórias de um bom sujeito
02.09.2012
Memórias de um bom sujeito
26.08.2012
Memórias de um bom sujeito
19.08.2012
Memórias de um bom sujeito
12.08.2012
Memórias de um bom sujeito
06.08.2012
Memórias de um sujeito
29.07.2012
Memórias de um bom sujeito
22.07.2012
Memórias de um bom sujeito
15.07.2012
Memórias de um bom sujeito
08.07.2012
Memórias de um bom sujeito
01.07.2012
Memórias de um bom sujeito
24.06.2012
Memórias de um bom sujeito
17.06.2012
Memórias de um bom sujeito
03.06.2012
Memórias de um bom sujeito
26.05.2012
Memórias de um bom sujeito
29.04.2012
Memórias de um bom sujeito
22.04.2012
Memórias de um bom sujeito
24.03.2012
Memórias de um bom sujeito
18.03.2012
Memórias de um bom sujeito
13.03.2012
Memórias de um bom sujeito
04.03.2012
Memórias de um bom sujeito
25.12.2011
Memórias de um bom sujeito
14.12.2011
Memórias de um bom sujeito
13.11.2011
Memórias de um bom sujeito
05.11.2011
Memórias de um bom sujeito
01.11.2011
Memórias de um sujeito
18.10.2011
Memórias de um bom sujeito
11.10.2011
Memórias de um bom sujeito
25.09.2011
Memórias de um bom sujeito
03.09.2011
Memórias de um bom sujeito
20.08.2011
Memórias de um bom sujeito
06.08.2011
Memórias de um bom sujeito
01.08.2011
Memórias de um bom sujeito
24.07.2011
Memórias de um bom sujeito
16.07.2011
Memórias de um bom sujeito
12.07.2011
Memórias de um bom sujeito
02.07.2011
Memórias de um bom sujeito
19.06.2011
Memórias de um bom sujeito
12.06.2011
Memórias de um bom sujeito
04.06.2011
Memórias de um bom sujeito
28.05.2011
Memórias de um bom sujeito
03.04.2011
Memórias de um bom sujeito
27.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.03.2011
Memórias de um bom sujeito
13.03.2011
Memórias de um bom sujeito
06.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.02.2011
Memórias de um bom sujeito
13.02.2011
Memórias de um bom sujeito
06.02.2011
Memórias de um bom sujeito
04.01.2011
Memórias de um bom sujeito
12.12.2010
Memórias de um bom sujeito
05.12.2010
Memórias de um bom sujeito
28.11.2010
Memórias de um bom sujeito
21.11.2010
Memórias de um bom sujeito
14.11.2010
Memórias de um bom sujeito
07.11.2010
Memórias de um bom sujeito
31.10.2010
Memórias de um bom sujeito
24.10.2010
Memórias de um bom sujeito
17.10.2010
Memórias de um bom sujeito
10.10.2010
Memórias de um bom sujeito
03.10.2010
Memórias de um bom sujeito
19.09.2010
Memórias de um bom sujeito
12.09.2010
Memórias de um bom sujeito
29.08.2010
Memórias de um bom sujeito
15.08.2010
Memórias de um bom sujeito
08.08.2010
Memórias de um bom sujeito
25.07.2010
Memórias de um bom sujeito
18.07.2010
Memórias de um bom sujeito
11.07.2010
Memórias de um bom sujeito
04.07.2010
Memórias de um bom sujeito
27.06.2010
Memórias de um bom sujeito
20.06.2010
Memórias de um bom sujeito
13.06.2010
Memórias de um bom sujeito
06.06.2010
Memórias de um bom sujeito
30.05.2010
Memórias de um bom sujeito
23.05.2010
Memórias de um bom sujeito
16.05.2010
Memórias de um bom sujeito
09.05.2010
Memórias de um bom sujeito
25.04.2010
Memórias de um bom sujeito
18.04.2010
Memórias de um bom sujeito
11.04.2010
Memórias de um bom sujeito
04.04.2010
Memórias de um bom sujeito
28.03.2010
Memórias de um bom sujeito
21.03.2010
Memórias de um bom sujeito
14.03.2010
Memórias de um bom sujeito
07.03.2010
Memórias de um bom sujeito
27.02.2010
Memórias de um bom sujeito
21.02.2010
Memórias de um bom sujeito
16.02.2010
Memórias de um bom sujeito
14.02.2010
Memórias de um bom sujeito
20.12.2009
Memórias de um bom sujeito
13.12.2009
Memórias de um bom sujeito
06.12.2009
Memórias de um bom sujeito
29.11.2009
Memórias de um bom sujeito
22.11.2009
Memórias de um bom sujeito
08.11.2009
Memórias de um bom sujeito
18.10.2009
Memórias de um bom sujeito
11.10.2009
Memórias de um bom sujeito
04.10.2009
Memórias de um bom sujeito
06.09.2009
Memórias de um bom sujeito
30.08.2009
Memórias de um bom sujeito
23.08.2009
Memórias de um bom sujeito
15.08.2009
Memórias de um bom sujeito
09.08.2009
Memórias de um bom sujeito
02.08.2009
Memórias de um bom sujeito
26.07.2009
Memórias de um bom sujeito
12.07.2009
Memórias de um bom sujeito
05.07.2009
Memórias de um bom sujeito
28.06.2009
Memórias de um bom sujeito
21.06.2009
Memórias de um bom sujeito
07.06.2009
Memórias de um bom sujeito
31.05.2009
Memórias de um bom sujeito
17.05.2009
Memórias de um bom sujeito
10.05.2009
Memórias de um bom sujeito
03.05.2009
Memórias de um bom sujeito
26.04.2009
Memórias de um bom sujeito
19.04.2009
Memórias de um bom sujeito
12.04.2009
Memórias de um bom sujeito
05.04.2009
Memórias de um bom sujeito
29.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.03.2009
Memórias de um bom sujeito
08.03.2009
Memórias de um bom sujeito
01.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.02.2009
Memórias de um bom sujeito
15.02.2009
Memórias de um bom sujeito
28.12.2008
Memórias de um bom sujeito
25.12.2008
Memórias de um bom sujeito
21.12.2008
Memórias de um bom sujeito
07.12.2008
Memórias de um bom sujeito
30.11.2008
Memórias de um bom sujeito
23.11.2008
Memórias de um bom sujeito


Rebote - Cl√°udio Viola
Rebote - Cl√°udio Viola
PADRE EDUARDO BELOTTI
Momento de Espiritualidade
WALTER POPPI
Trimestralidade. Não é somente isso
WALDEMAR ALLEGRETTI
J√° passou da hora
COLUNISMO SOCIAL
Eventos e Personalidades
DOM ANUAR BATTISTI
Arquidiocese de Maring√°
EM DEFESA DO CONSUMIDOR
Confira seus direitos
TIAGO VALENCIANO
Política e Sociedade
OSWALDO FREIRE
Capital Federal
FRANCISCO JOS√Č DE SOUZA
A Lógica do Espiritismo
TATT√Ā CABRAL
Ensaio
HENRI JEAN VIANA
Francês Press
ROSE LEONEL
Notícia e Cia.
ORLANDO GONZALEZ
Dois Toques
CARMEM RIBEIRO
Colunista Social
JUAREZ FIRMINO
Balanço Geral
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
VERDEL√ćRIO BARBOSA
Fatos Políticos
Clicompre
Aroma Ing√°
Agropecuária Hélio
Rima Seguros
Maring√°Mais
Click do Gato