Maringá, 24 de Junho de 2018
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
 

ALEM DE VOCE NINGUEM É RESPONSAVEL PELA SUA FELICIDADE!

DIA DOS PAIS

Hoje é dia dos pais.
Um dia a mais no calendário promocional das vendas do comercio.
Ou um dia para a gente homenagear mesmo aquele que nos deu a vida.
Meu pai morreu há mais de cinqüenta anos.
Para homenagear a todos os pais, vou falar do tempo do meu pai.
Quando ele nasceu o rádio estava sendo descoberto.  Existia em algum lugar do mundo e não demorou chegar ao Brasil.
 Luz elétrica nas ruas das cidades nem pensar.  Os lampiões de gás e a querosene iluminavam as vias publicas.  Quando tinha, claro.
O automóvel já existia.  Era o pé-de-bode fabricado por Henry Ford.  Alguns brasileiros ricos já possuíam os seus.
No seu tempo nasceu o desbravador dos sertões: o famoso Jeep Willis.
Geladeira nem pensar. Os alimentos eram conservados dentro das latas de banha de porco, bem tapadas.
Bebia-se água dos córregos e rios e dos poços profundos nos quintais. Às vezes nem tão profundos.
No tempo do meu pai o fio do bigode valia muito mais que qualquer papel assinado.  A palavra empenhada era compromisso para ser cumprido.
As contas nos armazéns eram anotadas em cadernetas que cada um levava para sua casa. E os pagamentos eram no dia marcado. Às vezes a cada seis meses. Ou mais.
Os armazéns vendiam de tudo: secos e molhados, tecidos, ferragens, material de construção.
Namoro era coisa séria.
Sexo só depois do casamento.
Casamento que era para sempre e as moças, virgens. 
Filho obedecia ao pai em qualquer circunstancia. Bastava um olhar e pronto.  Mulher era só dona de casa.  Não precisava trabalhar fora.
O homem, seu marido, a sustentava em todas as necessidades.
Ir a igreja nas missas dominicais era obrigação de todos.  O pároco era pessoa estudada  e conselheiro da família.
Os padrinhos de batismo e de crisma, segundos pais, com autoridade sobre os afilhados.  
Escola era para poucos. 
Professor era respeitado, figura de enorme poder no seio da sociedade.
Quem conseguia terminar o primário, um herói.
O cavalo e a carroça os meios de transporte mais usuais. Ter uma boa montaria um sonho de todos.
O trem de ferro, puxado por máquinas movidas a lenha, o mais formidável meio de transporte de gente e de cargas que existia.
No tempo do meu pai o rádio ficava no centro da sala e o repórter Esso o noticioso de maior credibilidade que existia. Ninguém podia nem tossir.
Pais e filhos tomavam o café da manhã,  almoçavam e jantavam juntos.
A alegria diária era ouvir Vicente Celestino, Francisco Alves, Tonico e Tinoco, Carmem Miranda, e tantos outros cantores famosos gravados nos discos de vinil,  na eletrola movida a manivela.
Ou cantar junto da viola na roda de amigos.
A fartura vinha da roça e dos roçados. Do mato e das quiçaças. Da caça de aves e bichos: pombas, jacus, urus, veados, quatis, capivaras, antas, etc.
Tudo era permitido.
Colher na mata palmitos, jaracatiás, gabirobas, jabuticabas, pitangas e tantas outras frutas silvestres.
Homem não usava brinco e nem tatuagem. No cabelo só gumex. Ou brilhantina. Tinta jamais.  A cor era a natural.
Quando ele nasceu nascia também o cinema. Mudo e, Charlie Chaplin o mais famoso dos artistas.
Circulavam os gibis que toda criança lia ou olhava as figuras do Tarzan, do capitão Marvel, do super-homem.
Com a Disney apareceram os imutáveis Mickey, pato Donald, Pateta e tantos outros personagens eternos.
Preso trabalhava para a comunidade, carpindo mato na rua ou consertando buracos, quebrando pedras para se fazer calçamentos, com uma corrente amarrada aos pés.
No tempo do meu pai político era gente importante, respeitada, querida, admirada. Tinha adversário e até inimigo, mas era moral.
Não existiam homens públicos imorais, quanto mais amorais como hoje.
No tempo do meu pai um presidente se matou porque um seu homem de confiança foi acusado de um atentado mortal contra um adversário.
Não existia telefone, televisão, internet.
Nada disso.
A gente se falava, se entendia, fazia amigos, companheiros.
Brincava na rua.  Andava de bicicleta. Caçava com estilingues.
Quando um filho se machucava o remédio caseiro com base na arnica, no rubi, no fumo com urina,  funcionava mesmo.
Policial era respeitado e não temido.
No tempo do meu pai droga era o cigarro ou a cachaça. 
Ninguém roubava ou matava para saciar o vicio do crack ou da cocaina.
Ladrão era o Meneghetti  ou o  bandido da luz vermelha. 
Só assaltavam ricos.
As casas nem eram trancadas direito. A maioria nem chave tinham.
Ah! Que tempo bom o tempo do meu pai.
Com certeza se fosse vivo – coitado -  estaria estarrecido com o mundo de hoje...

Se você ainda tem pai vivo, aproveite esse dia e dê a ele o maior beijo do mundo.
O abraço mais apertado que possa suportar.
O afago mais carinhoso que sua mão possa oferecer.
Diga a ele que o quanto você o ama.
Lembre-se de uma coisa: pai é um só.
E ninguém nesse mundo vai amar você mais que seu pai.

Antonio Messias Pimenta, o gaucho mais autentico que os pampas já produziram, costumava dizer com sabedoria: pelo meu pai em mato, mas pelo meu filho eu morro.
Você que é pai sabe que o Pimenta estava certo.
Você que é filho, também.

Parabéns pais de Maringá pelo seu dia.
Que ele seja repleto da felicidade que você merece.

 
  
Os artigos, conceitos e opiniões pessoais são de inteira responsabilidade do autor.
14.02.2016
Memórias de um bom sujeito
10.02.2016
Memórias de um bom sujeito
31.01.2016
Memórias de um bom sujeito
24.01.2016
Memórias de um bom sujeito
07.12.2015
Memórias de um bom sujeito
29.11.2015
Memórias de um bom sujeito
23.11.2015
Memórias de um bom sujeito
15.11.2015
Memórias de um bom sujeito
08.11.2015
Memórias de um bom sujeito
01.11.2015
Memórias de um bom sujeito
26.10.2015
Memórias de um bom sujeito
17.10.2015
Memórias de um bom sujeito
12.10.2015
Memórias de um bom sujeito
05.10.2015
Memórias de um bom sujeito
28.09.2015
Memórias de um bom sujeito
21.09.2015
Memórias de um bom sujeito
13.09.2015
Memórias de um bom sujeito
08.09.2015
Memórias de um bom sujeito
23.08.2015
Memórias de um bom sujeito
31.05.2015
Memórias de um bom sujeito
24.05.2015
Memórias de um sujeito
10.05.2015
Memórias de um bom sujeito
03.05.2015
Memórias de um bom sujeito
18.04.2015
Memórias de um bom sujeito
12.04.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
30.03.2015
Memórias de um bom sujeito
22.03.2015
Memórias de um bom sujeito
15.03.2015
Memórias de um bom sujeito
08.03.2015
Memórias de um bom sujeito
01.03.2015
Memórias de um bom sujeito
12.01.2015
Memórias de um bom sujeito
03.01.2015
Memórias de um bom sujeito
21.12.2014
Memórias de um bom sujeito
14.12.2014
Memórias de um bom sujeito
07.12.2014
Memórias de um bom sujeito
30.11.2014
Memórias de um bom sujeito
23.11.2014
Memórias de um bom sujeito
16.11.2014
Memórias de um bom sujeito
09.11.2014
Memórias de um bom sujeito
02.11.2014
Memórias de um bom sujeito
19.10.2014
Memórias de um bom sujeito
14.10.2014
Memórias de um bom sujeito
05.10.2014
Memórias de um bom sujeito
29.09.2014
Memórias de um bom sujeito
14.09.2014
Memórias de um bom sujeito
07.09.2014
Memórias de um bom sujeito
31.08.2014
Memórias de um bom sujeito
26.08.2014
Memórias de um bom sujeito
17.08.2014
Memórias de um bom sujeito
11.08.2014
Memórias de um bom sujeito
03.08.2014
Memórias de um bom sujeito
20.07.2014
Memórias de um bom sujeito
12.07.2014
Memórias de um bom sujeito
06.07.2014
Memórias de um bom sujeito
30.06.2014
Memórias de um bom sujeito
22.06.2014
Memórias de um bom sujeito
17.06.2014
Memórias de um bom sujeito
10.06.2014
Memórias de um bom sujeito
01.06.2014
Memórias de um bom sujeito
25.05.2014
Memórias de um bom sujeito
14.05.2014
Memórias de um bom sujeito
04.05.2014
Memórias de um bom sujeito
27.04.2014
Memórias de um bom sujeito
20.04.2014
Memórias de um bom sujeito
13.04.2014
Memórias de um bom sujeito
06.04.2014
Memórias de um bom sujeito
30.03.2014
Memórias de um bom sujeito
25.03.2014
Memórias de um bom sujeito
20.03.2014
Memórias de um bom sujeito
17.02.2013
Memórias de um bom sujeito
30.12.2012
Memórias de um bom sujeito
18.11.2012
Memórias de um bom sujeito
11.11.2012
Memórias de um bom sujeito
06.11.2012
Memórias de um bom sujeito
28.10.2012
Memórias de um bom sujeito
23.10.2012
Memórias de um bom sujeito
14.10.2012
Memórias de um bom sujeito
30.09.2012
Memórias de um bom sujeito
25.09.2012
Memórias de um bom sujeito
16.09.2012
Memórias de um bom sujeito
09.09.2012
Memórias de um bom sujeito
02.09.2012
Memórias de um bom sujeito
26.08.2012
Memórias de um bom sujeito
19.08.2012
Memórias de um bom sujeito
12.08.2012
Memórias de um bom sujeito
06.08.2012
Memórias de um sujeito
29.07.2012
Memórias de um bom sujeito
22.07.2012
Memórias de um bom sujeito
15.07.2012
Memórias de um bom sujeito
08.07.2012
Memórias de um bom sujeito
01.07.2012
Memórias de um bom sujeito
24.06.2012
Memórias de um bom sujeito
17.06.2012
Memórias de um bom sujeito
03.06.2012
Memórias de um bom sujeito
26.05.2012
Memórias de um bom sujeito
29.04.2012
Memórias de um bom sujeito
22.04.2012
Memórias de um bom sujeito
24.03.2012
Memórias de um bom sujeito
18.03.2012
Memórias de um bom sujeito
13.03.2012
Memórias de um bom sujeito
04.03.2012
Memórias de um bom sujeito
25.12.2011
Memórias de um bom sujeito
14.12.2011
Memórias de um bom sujeito
13.11.2011
Memórias de um bom sujeito
05.11.2011
Memórias de um bom sujeito
01.11.2011
Memórias de um sujeito
18.10.2011
Memórias de um bom sujeito
11.10.2011
Memórias de um bom sujeito
25.09.2011
Memórias de um bom sujeito
03.09.2011
Memórias de um bom sujeito
20.08.2011
Memórias de um bom sujeito
06.08.2011
Memórias de um bom sujeito
01.08.2011
Memórias de um bom sujeito
24.07.2011
Memórias de um bom sujeito
16.07.2011
Memórias de um bom sujeito
12.07.2011
Memórias de um bom sujeito
02.07.2011
Memórias de um bom sujeito
19.06.2011
Memórias de um bom sujeito
12.06.2011
Memórias de um bom sujeito
04.06.2011
Memórias de um bom sujeito
28.05.2011
Memórias de um bom sujeito
03.04.2011
Memórias de um bom sujeito
27.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.03.2011
Memórias de um bom sujeito
13.03.2011
Memórias de um bom sujeito
06.03.2011
Memórias de um bom sujeito
20.02.2011
Memórias de um bom sujeito
13.02.2011
Memórias de um bom sujeito
06.02.2011
Memórias de um bom sujeito
04.01.2011
Memórias de um bom sujeito
12.12.2010
Memórias de um bom sujeito
05.12.2010
Memórias de um bom sujeito
28.11.2010
Memórias de um bom sujeito
21.11.2010
Memórias de um bom sujeito
14.11.2010
Memórias de um bom sujeito
07.11.2010
Memórias de um bom sujeito
31.10.2010
Memórias de um bom sujeito
24.10.2010
Memórias de um bom sujeito
17.10.2010
Memórias de um bom sujeito
10.10.2010
Memórias de um bom sujeito
03.10.2010
Memórias de um bom sujeito
19.09.2010
Memórias de um bom sujeito
12.09.2010
Memórias de um bom sujeito
29.08.2010
Memórias de um bom sujeito
15.08.2010
Memórias de um bom sujeito
25.07.2010
Memórias de um bom sujeito
18.07.2010
Memórias de um bom sujeito
11.07.2010
Memórias de um bom sujeito
04.07.2010
Memórias de um bom sujeito
27.06.2010
Memórias de um bom sujeito
20.06.2010
Memórias de um bom sujeito
13.06.2010
Memórias de um bom sujeito
06.06.2010
Memórias de um bom sujeito
30.05.2010
Memórias de um bom sujeito
23.05.2010
Memórias de um bom sujeito
16.05.2010
Memórias de um bom sujeito
09.05.2010
Memórias de um bom sujeito
25.04.2010
Memórias de um bom sujeito
18.04.2010
Memórias de um bom sujeito
11.04.2010
Memórias de um bom sujeito
04.04.2010
Memórias de um bom sujeito
28.03.2010
Memórias de um bom sujeito
21.03.2010
Memórias de um bom sujeito
14.03.2010
Memórias de um bom sujeito
07.03.2010
Memórias de um bom sujeito
27.02.2010
Memórias de um bom sujeito
21.02.2010
Memórias de um bom sujeito
16.02.2010
Memórias de um bom sujeito
14.02.2010
Memórias de um bom sujeito
20.12.2009
Memórias de um bom sujeito
13.12.2009
Memórias de um bom sujeito
06.12.2009
Memórias de um bom sujeito
29.11.2009
Memórias de um bom sujeito
22.11.2009
Memórias de um bom sujeito
15.11.2009
Memórias de um bom sujeito
08.11.2009
Memórias de um bom sujeito
18.10.2009
Memórias de um bom sujeito
11.10.2009
Memórias de um bom sujeito
04.10.2009
Memórias de um bom sujeito
06.09.2009
Memórias de um bom sujeito
30.08.2009
Memórias de um bom sujeito
23.08.2009
Memórias de um bom sujeito
15.08.2009
Memórias de um bom sujeito
09.08.2009
Memórias de um bom sujeito
02.08.2009
Memórias de um bom sujeito
26.07.2009
Memórias de um bom sujeito
12.07.2009
Memórias de um bom sujeito
05.07.2009
Memórias de um bom sujeito
28.06.2009
Memórias de um bom sujeito
21.06.2009
Memórias de um bom sujeito
07.06.2009
Memórias de um bom sujeito
31.05.2009
Memórias de um bom sujeito
17.05.2009
Memórias de um bom sujeito
10.05.2009
Memórias de um bom sujeito
03.05.2009
Memórias de um bom sujeito
26.04.2009
Memórias de um bom sujeito
19.04.2009
Memórias de um bom sujeito
12.04.2009
Memórias de um bom sujeito
05.04.2009
Memórias de um bom sujeito
29.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.03.2009
Memórias de um bom sujeito
08.03.2009
Memórias de um bom sujeito
01.03.2009
Memórias de um bom sujeito
22.02.2009
Memórias de um bom sujeito
15.02.2009
Memórias de um bom sujeito
28.12.2008
Memórias de um bom sujeito
25.12.2008
Memórias de um bom sujeito
21.12.2008
Memórias de um bom sujeito
07.12.2008
Memórias de um bom sujeito
30.11.2008
Memórias de um bom sujeito
23.11.2008
Memórias de um bom sujeito


PADRE EDUARDO BELOTTI
Momento de Espiritualidade
WALTER POPPI
Trimestralidade. Não é somente isso
WALDEMAR ALLEGRETTI
Já passou da hora
COLUNISMO SOCIAL
Eventos e Personalidades
DOM ANUAR BATTISTI
Arquidiocese de Maringá
EM DEFESA DO CONSUMIDOR
Confira seus direitos
TIAGO VALENCIANO
Política e Sociedade
OSWALDO FREIRE
Capital Federal
FRANCISCO JOSÉ DE SOUZA
A Lógica do Espiritismo
TATTÁ CABRAL
Ensaio
HENRI JEAN VIANA
Francês Press
ROSE LEONEL
Notícia e Cia.
ORLANDO GONZALEZ
Dois Toques
CARMEM RIBEIRO
Colunista Social
JUAREZ FIRMINO
Balanço Geral
ADEMAR SCHIAVONE
Memórias de um bom sujeito
VERDELÍRIO BARBOSA
Fatos Políticos
Clicompre
Aroma Ingá
Agropecuária Hélio
Rima Seguros
MaringáMais
Click do Gato