Maringá, 17 de Dezembro de 2017
GLOBAL BENEFÍCIOS NUTRIGENES
 
Untitled Document
05.12.2017
Indústria cresce 5,3% em outubro
A produção industrial brasileira fechou o mês de outubro deste ano com crescimento de 5,3% em relação a outubro do ano passado, registrando a sexta taxa consecutiva de crescimento nesta base de comparação. Foi a taxa mais elevada nesta base de comparação desde os 9,8% de abril de 2013. Os veículos automotores, reboques e carrocerias foram a atividade que mais influenciou a alta.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Brasil, divulgada hoje (5), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a setembro deste ano, o crescimento da indústria em outubro foi de 0,2%, o segundo resultado positivo consecutivo na série livre de influências sazonais. Nos últimos dois meses, a alta acumulada é de 0,6%.

Com o resultado de outubro, a indústria tem alta acumulada em 2017 de 1,9%, em comparação com primeiros dez meses do ano passado. Já o acumulado nos últimos doze meses avançou 1,5%. Foi o segundo resultado positivo consecutivo para o acumulado dos últimos doze meses e o mais elevado desde os 2,1% de março de 2014.

Apesar da relativa estabilidade entre setembro e outubro, o crescimento de 0,2% se deu de forma disseminada, com aumento da produção em 15 das 24 atividades pesquisadas. Em setembro, apesar do crescimento revisado de 0,3%, a expansão se deu em apenas oito das atividades pesquisadas.

Categorias econômicas
Em outubro, houve taxas positivas em duas das quatro grandes categorias econômicas. O grupo bens de consumo semi e não-duráveis cresceu 2% e registrou a expansão mais acentuada em outubro, interrompendo dois meses consecutivos de queda na produção - período em que acumulou redução de 2,8%. A categoria bens de capital teve crescimento de 1,1% e manteve o comportamento positivo iniciado em abril, período em que acumulou alta de 11,6%.

Já o setor de bens de consumo duráveis recuou 2% e o de bens intermediários teve redução de 0,8%. No caso de bens de consumo duráveis, foi interrompida uma série de de três altas consecutivas, período em que acumulou ganho de 9,7%. Já o crescimento de bens intermediários eliminou o avanço de 0,7% verificado em setembro.

Ramos de atividades
O avanço de 15 dos 24 ramos de atividades pesquisados tem como destaque as influências positivas verificadas em farmoquímicos e farmacêuticos, que chegou a crescer 20,3%; e bebidas, com 4,8%. Ambos revertem os resultados negativos registrados no mês anterior: -19,7% e -0,7% respectivamente.

De acordo com o gerente da pesquisa, André Macedo, é preciso, no entanto, relativizar o crescimento dos farmoquímicos e farmacêuticos, que têm apresentado um comportamento oscilante: “A produção farmacêutica está entre as atividades que mais influenciaram negativamente a indústria. No acumulado do ano, ela caiu 7,4% e, em setembro, a queda foi de 19,7%”, ressaltou.

Também contribuíram positivamente a confecção de artigos de vestuário e acessórios (4,3%), a metalurgia (1,6%), as máquinas e equipamentos (1,3%) e os artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (3,8%).

Entre os nove ramos que reduziram a produção nesse mês, o ramo produtos alimentícios (-5,7%) obteve o desempenho de maior relevância para a média global, eliminando a expansão de 3,7% verificada em setembro.

Outros impactos negativos foram registrados nos setores de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,6%) e de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (-3,2%).

Comparação com outubro de 2016
Na comparação com outubro do ano passado, em que se verificou crescimento de 5,3%, houve resultados positivos em todas as quatro grandes categorias econômicas, em 22 dos 26 ramos, em 61 dos 79 grupos e em 61,9% dos 805 produtos pesquisados.

Entre as atividades, a de veículos automotores, reboques e carrocerias, cujo crescimento chegou a 27,4%, exerceu a maior influência positiva sobre a média da indústria, “impulsionada, em grande parte, pela maior fabricação dos itens automóveis, caminhão-trator para reboques e semirreboques, caminhões, veículos para transporte de mercadorias e autopeças”, segundo a publicação.

Outras contribuições positivas relevantes vieram de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos(crescimento de 22%), de indústrias extrativas (3,1%), de máquinas e equipamentos (8,3%), de metalurgia (6,5%), de produtos de borracha e de material plástico (9,9%), de bebidas (8,3%) e de artigos do vestuário e acessórios (11,8%), entre outros.

Por outro lado, entre as quatro atividades que apontaram redução na produção no período, a principal influência no total da indústria foi registrada por coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,5%).

Entre as categorias econômicas, bens de consumo duráveis (17,6%) e bens de capital (14,9%) assinalaram os avanços mais acentuados entre as grandes categorias econômicas em outubro de 2017, em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Os segmentos de bens de consumo semi e não-duráveis (4,9%) e de bens intermediários (3,1%) também mostraram taxas positivas nesse mês, mas ambos com crescimento abaixo da média nacional (5,3%).

Os bens de comsumo duráveis tiveram em outubro de 2017 a 12ª taxa positiva consecutiva nesta base de comparação. Os 17,6% registrados foram 0,6 pontos percentuais acima do mês anterior.

Nesse mês, o setor foi particularmente impulsionado pelo crescimento na fabricação de automóveis (23,7%) e de eletrodomésticos da linha marrom (televisores e aparelhos de som e vídeo, com 19,7%). Vale citar também as expansões assinaladas por eletrodomésticos da linha branca (de maior porte, como geladeiras, fogões e lavadoras, com 5,9%), móveis (11,5%), outros eletrodomésticos (6,6%) e motocicletas (10,2%).

Já o setor de bens de capital mostrou crescimento de 14,9% no índice mensal de outubro de 2017, sexto resultado positivo consecutivo nesse tipo de comparação e o mais intenso desde dezembro de 2016 (16,3%).

Recuperação gradual
Segundo o gerente da Pesquisa Industrial Mensal, “o que se observa ao longo do ano é uma predominância de resultados positivos, mas sempre com a ressalva de que a recuperação se dá de forma gradual. Até porque as perdas do passado recente são muito intensas. É claro que há uma melhora do ritmo em relação a este passado, mas ainda está longe de zerar as perdas todas verificadas nos anos de 2014, 2015 e 2016”, disse Macedo. Neste ano, foram oito altas em dez meses – as exceções foram março e agosto, que tiveram taxas negativas.

André Macedo ressaltou também que, apesar do resultado positivo, a produção brasileira ainda permanece no nível do início de 2009. "Sem contar que estamos mais de 17% abaixo do ponto mais alto da série, que foi em junho de 2013”.

Agência Brasil
Foto - Agência Brasil
 
16.12.2017
Centro de Especialidades
16.12.2017
Governo reduz horário de verão para 2018
16.12.2017
PV não tem legitimidade para pedir cassação de Marchese
16.12.2017
André Bovo é eleito presidente da Amusep
15.12.2017
Ronaldinho Gaúcho quer disputar eleições
15.12.2017
Estados Unidos acaba com neutralidade de rede na internet do país
15.12.2017
Solicitação de Passe do Estudante é liberada
15.12.2017
Regulamentação de mercados fica para 2018
14.12.2017
Ex de Viviane Araújo pede R$ 500 mil de pensão
14.12.2017
Flamengo fica só no cheiro de novo
14.12.2017
Orçamento de 2018 tem previsão de gastos de R$ 3,57 trilhões
14.12.2017
PC cumpre mandados na casa de suspeitos por furto e agressão
14.12.2017
Maringá ganha primeira Farmácia Móvel do PR
13.12.2017
Conseg intermedia repasse de R$ 75 mil do MPT ao Denarc
13.12.2017
Grêmio na final do Mundial de Clubes
13.12.2017
Criança de dois anos é internada após colocar pedra de crack na boca
13.12.2017
Dois terremotos atingem o Irã
13.12.2017
Câmara aprova subsídio para empresa
12.12.2017
Caio Blat e Luisa Arraes juntos
12.12.2017
MP investiga Terminal Intermodal
12.12.2017
Comércio de rua funciona até às 22 horas
12.12.2017
BC sinaliza que pode fazer novo corte na taxa de juros
12.12.2017
Jovem é espancado na Praça da Catedral
12.12.2017
Vestibular de Verão da UEM registra 17% de ausentes
11.12.2017
Atletas que deram a volta por cima em 2017
11.12.2017
Jovem é morto por dívida de R$ 100
11.12.2017
Morre no Rio de Janeiro a atriz Eva Todor
11.12.2017
Nível de infestação da dengue sobre em Maringá
11.12.2017
Índices apontam melhora da economia
11.12.2017
Agência do Trabalhador tem 106 vagas de emprego
07.12.2017
Polícia prende rapaz por tentativa de homicídio
07.12.2017
Flamengo perde fora de casa
07.12.2017
Copom reduz juros básicos para 7% ao ano
07.12.2017
IPTU terá reajuste de 2,77%
07.12.2017
MP decide pela continuação da Comissão Processante
05.12.2017
Ritmo de obras na UEM é normalizado
05.12.2017
Câmara discute abertura do comércio aos domingos
05.12.2017
Comunidade Apoio à Vida inaugura Farmácia do Trabalhador
04.12.2017
Mulher apanha do marido e é internada na UTI
04.12.2017
Zé Aldo perde revanche para Holloway
04.12.2017
Aumenta projeção para crescimento da economia
04.12.2017
Paranaense: Afinal que tabela é essa?
04.12.2017
Agência tem vagas de emprego
04.12.2017
Escola Sem Partido é debatido na Câmara
02.12.2017
Suspeitos de terem praticado homicídio são presos
02.12.2017
Veja os grupos para a Copa da Rússia
02.12.2017
Gilmar Mendes manda soltar empresário pela terceira vez
02.12.2017
Prefeitura busca a posse do Cine Plaza
01.12.2017
CP contra Marchese
01.12.2017
Farmácia Popular em Maringá é fechada
01.12.2017
Flamengo na final da Sul-Americana
01.12.2017
PIB cresce 0,1% no 3º trimestre
01.12.2017
Sobe número de mortes por atropelamento
01.12.2017
Começam as festividades da Maringá Encantada
30.11.2017
Grêmio é Tri na Libertadores
30.11.2017
Natal no Parque do Japão
30.11.2017
Claudia Leitte perde R$ 370 mil para músico
30.11.2017
País tem 12,7 milhões de desempregados
30.11.2017
Maringá registra mais uma vítima fatal no trânsito
30.11.2017
Viagem de férias no Paraná vai ficar mais cara
27.11.2017
Como vamos salvar nossas árvores?
27.11.2017
Massa se despede da F1
27.11.2017
Observatório debate temas da cidade
27.11.2017
Assalto termina com ladrão baleado
27.11.2017
Mercado financeiro reduz projeção da inflação
27.11.2017
Agência do Trabalhador tem 121 vagas de emprego
25.11.2017
Lutador é preso por aceitar propina no UFC
25.11.2017
Mega-Sena vai sortear R$ 60 milhões neste sábado
25.11.2017
Três atropelamentos são registrados em três horas
25.11.2017
Mulheres promovem “Pedalada” contra violência
24.11.2017
Cocamar recebe prêmio Excelência de Gestão
24.11.2017
Flamengo vence de virada
24.11.2017
Terminal Intermodal
24.11.2017
Anatel começa a bloquear celulares piratas em maio de 2018
24.11.2017
Homicídio é registrado no Jardim Ipanema
24.11.2017
Defesa Civil fiscaliza marquises de comércios
23.11.2017
Quem ofereceu a Marchese senhas de acesso?
23.11.2017
O Dia de Doar - Doa Maringá
23.11.2017
Cida Borghetti é homenageada
23.11.2017
Galisteu pode emplacar na Globo
23.11.2017
Temer anuncia liberação de R$ 2 bilhões para os municípios
23.11.2017
Portal Maringá Mais comemora 9 anos
Nipo Brasileiro Contabilidade
Hotel Internacional
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Paraná Banco
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual