Maringá, 13 de Novembro de 2018
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
19.06.2018
Lei Seca soma dados positivos após 10 anos
"Se beber, não dirija". A frase, usada frequentemente em campanhas publicitárias na televisão e no rádio, faz parte do cotidiano do brasileiro há mais 10 anos. Em alguns estados, como Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, ela obrigatoriamente deve ser impressa em cardápios de bares e restaurantes.

Embora campanhas embasadas nessa frase já fossem realizadas desde o fim dos anos 1990, é com a aprovação da Lei Seca, em 2008, há exatos 10 anos, que ela passa a ser utilizada de forma mais ampla e articulada pelo poder público e organizações da sociedade civil, tornando-a cada vez mais familiar para a população.

A nova legislação trouxe modificações importantes no Código de Trânsito. De lá pra cá, especialistas celebram dados positivos, mas também levantam questões que consideram relevantes para aprimorar o quadro.

Um estudo - conduzido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES) e divulgado no ano passado - aponta que, entre 2008 e 2016, a Lei Seca teria evitado a morte de quase 41 mil pessoas.

Comparativamente, equivale a evitar a queda de mais de 80 aviões Boeings 747. "Agregando o valor estatístico da vida, corrigido para 2016 pelo IGP-DI ((Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna), a economia brasileira teria evitado uma perda de produto de R$ 74,5 bilhões a preços de 2016", registra o estudo.

O levantamento tomou como base estatísticas do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele mostrou ainda que, embora tenha havido aumento de 7% no número de acidentes em 2016 na comparação com 2013, houve 35 mil mortes a menos.

Segundo o levantamento, os óbitos se mantêm estáveis com tendência de queda desde 2008, o que sugere a ocorrência de acidentes menos graves a partir da aprovação da Lei Seca.

Segundo o CPES, os acidentes de trânsito são apontados como um das principais causas de invalidez e mortes precoces no Brasil, e a Lei Seca surgiu da necessidade de impor penalidades mais severas para as infrações no trânsito com o intuito de dar respostas a esses índices.

Ela não teria apenas ampliado o rigor da legislação, mas também estimulado o debate. "Pelo lado da sociedade civil, surgiram campanhas de educação na mídia, escolas e empresas", aponta a pesquisa.

O levantamento do CPES é citado no livro Lei Seca, 10 Anos — A Lei da Vida, lançado ontem (18), em cerimônia no Rio de Janeiro pelo deputado federal Hugo Leal (PSD), autor do projeto aprovado em 2008.

A obra narra a trajetória dos 10 anos, passando pelas discussões sobre a legislação, construção do conceito de alcoolemia zero, desdobramento, modificações e interpretações no Poder Judiciário.

Para o deputado, a principal preocupação é garantir a efetiva fiscalização. "Não adianta ampliar a punição e não punir. A suspensão da CNH [Carteira Nacional de Habilitação] por um ano é uma realidade, mas os estados estão cumprindo? É importante que as pessoas tenham a percepção de que a lei é aplicada. Aí, sim, haverá impactos. Se demorar muito, a aplicação da punição pode não ter o efeito que a gente deseja. Temos números relevantes sobre o impacto da lei, mas ainda não é aquém do cenário que nós queremos".

Ele avalia, porém, que a digitalização e a tecnologia já estão contribuindo para uma maior agilidade.

Mudanças

Antes da Lei Seca, o Código de Trânsito em vigor, aprovado em 1997, já limitava a ingestão até seis decigramas de álcool por litro de sangue. A legislação de 2008 tolerava o limite de 0,1 miligrama por litro (mg/l). Ela fixou punições que envolvem multas elevadas, perda da habilitação e recolhimento do veículo. No caso de acidentes com vítimas, o responsável deve responder a processo penal. Em 2012, uma modificação estabeleceria a infração a partir de 0,5 mg/l. Uma nova alteração em 2016 também intensificaria o rigor fixando a alcoolemia zero.

"Diversas pesquisas mostraram que, mesmo em pequenas quantidades, o reflexo fica comprometido", defende Deborah Malta , professora da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ela é uma das envolvidas na Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), coordenada pelo Ministério da Saúde, que trata a questão do ponto de vista da saúde pública.

Um dado deste estudo que chama atenção é que o número de homens que assumem beber e dirigir é bem superior ao de mulheres. Considerando os dados de 2017 coletados em 27 capitais, 11,7% da população masculina afirmam cometer a infração, contra apenas 2,5% da população feminina. A discrepância observada no recorte de gênero também salta aos olhos no estudo do CPES. Desde 2012, mais de 82% dos acidentados no trânsito e mais de 77 % dos mortos foram do sexo masculino.

Para Débora, o principal desafio é reduzir disparidades na aplicação da lei, já que é nítida a diferença quando se comparam capitais. "Há cidades que fazem mais blitz do que outras. Cuiabá, Goiânia, Teresina, Palmas e São Luís são algumas capitais onde os dados revelam que a legislação teve menos impacto".

Além disso, ela avalia que, mesmo onde as ações são mais intensificadas, poderiam ter um salto de qualidade se a ação foram mais articulada para envolver os variados órgãos públicos. Outra observação da pesquisadora é que, em cidades pequenas, a fiscalização acaba ficando sob responsabilidade exclusiva do governo estadual e na prática não acontece.

O deputado Hugo Leal reconhece a falta de uniformidade na aplicação da lei em todo o país. "O Rio, por exemplo, optou por fazer uma política pública de fiscalização e obviamente tem um impacto. Começou em 2009, um ano depois que a legislação entrou em vigor". Ele faz referência à Operação Lei Seca que, segundo dados do governo estadual, realizou mais de 20 mil blitzes desde março de 2009.

Dados do estado de São Paulo mostram que as ações vêm se intensificando a cada ano. O número de multas mais que quadruplicou, saltando de 11,7 mil em 2008 para 45 mil em 2016. "A Câmara aprovou, no fim do ano passado, o Plano Nacional de Redução de Mortes no Trânsito (Pnatrans). É um instrumento que será importante. A partir dele, poderemos cobrar os estados, ver se eles estão cumprindo a legislação e reduzindo seus índices", acrescenta Hugo Leal.

Rigor

Também em 2016, ficou determinado que a recusa ao teste do bafômetro é infração gravíssima, além da suspensão do direito de dirigir. Além disso, foi ampliada a pena prevista ao motorista causador da morte ou de lesão corporal: passou para cinco a oito anos de reclusão.

Para o professor de direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Maurício Mota, o grande mérito da lei foi criar um ambiente onde as pessoas estão tendo mais responsabilidade.

Ele, no entanto, sente falta de mais campanhas educativas e se preocupa com o peso dado à multa, o que poderia produzir injustiça na tentativa de ser pedagógico.

"Uma multa acima de R$ 2 mil pode ser algo muito excessivo. Há pessoas que não têm condições de arcar (...) A eficácia da lei não se dá só com repressão. Ela se dá com a constância da aplicação da lei"

Maurício acredita que o desafio é pensar a aplicação da lei com garantia de direitos e cita o exemplo do bafômetro, lembrando que a Constituição determina que ninguém é obrigado a produzir prova contra si mesmo. No entanto, com as mudanças implementadas em 2016, a detenção pode ocorrer quando a capacidade psicomotora alterada por influência de álcool for comprovada também por testemunhas e até vídeos.

Outra questão que gera debate é a quantidade de recursos possíveis. Da primeira notificação até a punição de fato, são seis possibilidades de manifestação do suposto infrator.

Na visão de Maurício Mota, o volume pode ser excessivo. Para ele, a preocupação maior deveria ser outra.

"Esses recursos na esfera administrativa nem sempre têm demonstrado efetividade. Isto é, levar os argumentos do suposto infrator a sério. Não é só uma questão do numero de níveis e instâncias. É garantir o direito à defesa. Permitir a verificação dos argumentos de forma a transmitir confiança à população. Não pode ser algo apenas protocolar, pois isso, influencia a percepção da população sobre a qualidade da lei".

Agência Brasil
 
11.11.2018
Hamilton vence o GP Brasil
11.11.2018
Boca e River ficam no empate
11.11.2018
Reforma trabalhista completa um ano
12.11.2018
Homem é assassinado ao tentar evitar briga
11.11.2018
Audiência pública discute melhorias no Contorno Sul
10.11.2018
Jovem confessa que esfaqueou estudante
10.11.2018
Aplicativo auxiliará na busca de desaparecidos
10.11.2018
Governo libera recursos para cirurgias de cataratas
09.11.2018
Viadutos do Contorno Norte só em dezembro de 2019
09.11.2018
Ataque de abelhas deixa três feridos em Maringá
09.11.2018
Menina abandonada pela mãe será cuidada pelos tios
09.11.2018
PF cumpre mandados contra vice-governador de Minas e 3 empresários
09.11.2018
Mulher foge depois de causar capotamento
09.11.2018
Audiência debate queima de fogos com barulho em Maringá
08.11.2018
Começa última etapa de vacinação contra Dengue
08.11.2018
Mãe abandona filha de quatro anos em Cmei de Maringá
08.11.2018
Senado aprova reajuste para ministros do STF
08.11.2018
Polícia Civil cria o Zap Denúncia
08.11.2018
Prefeitura atendeu mais de 2 mil denúncias de maus-tratos a animais
07.11.2018
Campanha Papai Noel dos Correios
07.11.2018
Avenidas que ligam bairros de Maringá já estão prontas
07.11.2018
Empresários pedem melhorias no Parque Industrial
07.11.2018
Bolsonaro e Temer iniciam governo de transição
07.11.2018
Número de ocorrências policiais cai no feriadão
07.11.2018
Projeto piloto da TCCC traz ônibus elétricos para Maringá
06.11.2018
A insistência das celebridades que fracassam
06.11.2018
Paraná Clube é rebaixado
06.11.2018
Semob interdita trechos para instalar estruturas de Natal
06.11.2018
Senac de Maringá agora é faculdade
06.11.2018
Seis pessoas morrem em acidentes no Paraná
06.11.2018
Homem esfaqueado morre no HU
06.11.2018
Dnit não aprova anteprojeto para viadutos do Contorno Norte
05.11.2018
Cocamar recebe premiações importantes
04.11.2018
Horário de verão começou à 0h deste domingo
04.11.2018
Palmeiras bate o Santos
04.11.2018
MP quer esclarecimentos sobre loteamentos
04.11.2018
Começou processo de matrícula em creches de Maringá
04.11.2018
PM estuda policiamento com bicicletas
04.11.2018
Morre motociclista vítima de acidente na Colombo
01.11.2018
Moro aceita convite para ser ministro da Justiça
01.11.2018
Temporal derruba 13 árvores em Maringá
01.11.2018
Câmara propõe legislativo com 23 vereadores
01.11.2018
Boca elimina o Palmeiras
01.11.2018
Cemitérios de Maringá devem receber 180 mil pessoas
01.11.2018
Veículo avança sinal e provoca grave acidente
31.10.2018
Estatuto do Desarmamento pode voltar à pauta
31.10.2018
River Plate elimina o Grêmio-RS
31.10.2018
Porto Seco de Maringá fechado definitivamente
31.10.2018
Halloween em Maringá tem tour pelo Cemitério Municipal
31.10.2018
Motorista morre carbonizado em acidente
31.10.2018
Licitação vai cercar Câmara de Maringá com grades de ferro
30.10.2018
Nossas vidas: da pretensão à razão
30.10.2018
Semob interdita mais um trecho da Avenida São Paulo
30.10.2018
Aumento do limite de financiamento de imóveis
30.10.2018
Motorista continua preso por morte de empresário
30.10.2018
Especialistas e políticos falam sobre eleição de Bolsonaro
28.10.2018
Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil
28.10.2018
Falcão se despede da seleção
28.10.2018
Verstappen vence e Hamilton é pentacampeão
28.10.2018
Maringá fica entre as 10 melhores cidades para investir
28.10.2018
Sanepar ignora lei municipal e mantém tarifa mínima
28.10.2018
Containers chegam com estrutura do Hospital da Criança
28.10.2018
Jovem confessa assassinato de travesti
26.10.2018
Propaganda eleitoral no rádio e tv termina hoje
26.10.2018
Vereadores pedem explicações de Ulisses Maia
26.10.2018
Jovem simula a própria morte e acaba preso
26.10.2018
Segundo turno deve ter menos fila nas seções eleitorais
25.10.2018
Pacote suspeito é enviado a ator nos USA
25.10.2018
GM intensifica ações
25.10.2018
Palmeiras perde para o Boca Juniors
25.10.2018
Defesa Civil dá dicas para se proteger de temporais
25.10.2018
Maringá e região têm mais de 1.450 armas registradas
25.10.2018
Motociclista atropela idoso na Colombo
25.10.2018
Horto Florestal segue fechado e sem previsão de reabertura
24.10.2018
Espanha inicia julgamento de brasileiro que matou tios e primos
24.10.2018
Grêmio vence o River Plate
24.10.2018
Palmeiras diz que não é favorito
24.10.2018
5ª Festa Literária de Maringá
24.10.2018
GM autua motorista por crime ambiental
24.10.2018
MP recebe denúncia de Caixa 2 de Ulisses Maia
23.10.2018
Empresários que somam 32% do PIB nacional apoiam Bolsonaro
23.10.2018
13º salário deve injetar R$ 543 milhões em Maringá
23.10.2018
Câmara discute lei para coibir festas clandestinas
23.10.2018
Maringá vai ter Núcleo de Práticas Integrativas
23.10.2018
Maringá tem 71 pessoas na lista de desaparecidos
23.10.2018
Travesti é executada em estrada rural
22.10.2018
Palmeiras vence o Ceará
22.10.2018
Empório Criativo em Maringá
22.10.2018
Bancos já podem receber boletos vencidos acima de R$ 100
22.10.2018
Vendedores de combustíveis adulterados vão ter licença cassada
21.10.2018
PM apreende droga em carro abandonado
19.10.2018
Hamilton pode se tornar pentacampeão
19.10.2018
Lei que autoriza compra de vagas em creches é debatida
19.10.2018
Pagamento do 13º salário injeta R$ 211,2 bilhões na economia
19.10.2018
Temporal atinge Maringá e provoca diversos estragos
18.10.2018
Trenzinho do Parque do Ingá volta a funcionar
18.10.2018
Pintor maringaense morre eletrocutado
18.10.2018
Nova taxa deve substituir o Funrebom
17.10.2018
O diferente começa pelo voto
17.10.2018
“Há terrorismo no Brasil”, diz ministro da Justiça
17.10.2018
Homem abusava sexualmente do filho
17.10.2018
Vereador pede câmeras apenas fora das salas de aula
17.10.2018
‘Business As Mission’ será realizado em Maringá
17.10.2018
Vereadores criticam promessas feitas por prefeito Ulisses Maia
16.10.2018
Prefeitura inicia construção de 49 casas em Iguatemi
16.10.2018
Horário de verão começa dia 4 de novembro
16.10.2018
Milhares ficam sem energia após temporal em Maringá
16.10.2018
Mais de 75% dos partos da rede pública são cesáreas
16.10.2018
Homem morre em colisão no Contorno Norte
15.10.2018
Semop segue com obras na Avenida Carlos Borges
15.10.2018
Bolsonaro usa redes sociais para desmentir Haddad
15.10.2018
Rotam prende traficante com 116 quilos de drogas
15.10.2018
Maringá é destaque em Logística Reversa no Paraná
11.10.2018
PT muda de cor para enganar o eleitor
11.10.2018
Bolsonaro lidera no segundo turno com 54%
11.10.2018
Homem que morreu em motel foi vítima de causas naturais
11.10.2018
Ulisses Maia volta atrás e suspende projeto de novo imposto
11.10.2018
Movimento na região de Maringá deve aumentar 20% no feriadão
10.10.2018
Cidade de Sarandi comemora 37 anos
10.10.2018
Câmara aprova projeto de segurança e fiscalização de combustíveis
10.10.2018
Maia assina projeto para implantar o “botão do pânico”
10.10.2018
“Gatorade” de cocaína é usado para matar presos
10.10.2018
Prefeitura faz projeto para cobrar novo tributo
09.10.2018
Partidos devem anunciar apoio no segundo turno
09.10.2018
Calçadas irregulares rendem quase 2 mil notificações
09.10.2018
Maringá elege oito deputados e aumenta representatividade
09.10.2018
Universidade inaugura sistema de monitoramento
09.10.2018
MP denuncia homem por feminicídio
08.10.2018
Vídeos com problemas nas urnas eletrônicas viralizam
08.10.2018
Haddad está em Curitiba pedindo conselho na prisão
08.10.2018
Briga termina em assassinato no Ebenezer
07.10.2018
Ratinho Júnior é eleito governador do Paraná
07.10.2018
Bolsonaro e Haddad disputam o segundo turno
06.10.2018
“Operações Eleitorais” unem órgãos de segurança de Maringá
07.10.2018
Prefeitura abre licitação para agência de publicidade
07.10.2018
Mais de 147 milhões de eleitores devem ir às urnas neste domingo
06.10.2018
Plano de mobilidade urbana será elaborado em 2019
06.10.2018
Presos libertam reféns e encerram rebelião
05.10.2018
Eleitor pode consultar local de votação por telefone
05.10.2018
Polícia Militar monta esquema para as Eleições 2018
05.10.2018
Depen controla rebelião na Penitenciária Estadual
04.10.2018
Agentes de trânsito vão receber adicional por periculosidade
04.10.2018
Festa das Nações
04.10.2018
Candidato a governo de São Paulo sofre ataque a tiros
04.10.2018
Maringá terá reajuste de 4,2% no IPTU em 2019
03.10.2018
Prefeitura abre licitação para novos jazidos
03.10.2018
Projeto “Trânsito em Sala de Aula”
03.10.2018
Bolsonaro dispara a 32% segundo Datafolha
03.10.2018
João Gordo relembra saída da MTV
03.10.2018
Maringá atingiu a maior arrecadação do ISSQN da história
03.10.2018
Mulher atropela e fere ex-marido
02.10.2018
Problema de umidade em solo da Catedral
02.10.2018
Maringá tem R$ 2,1 bi em poupança
02.10.2018
Palocci diz que houve desonestidade em toda a estrutura do PT
02.10.2018
Paraná não terá lei seca nas eleições 2018
02.10.2018
Atirador mata jovem pelas costas
01.10.2018
Manifestantes vão às ruas em apoio a Jair Bolsonaro
01.10.2018
Terremoto e tsunami na Indonésia causam mais de 800 mortes
01.10.2018
Atividades diversas marcam a Semana do Idoso
01.10.2018
Sanepar é proibida de cobrar taxa mínima de água e esgoto
01.10.2018
Professor denuncia ação durante eleições da UEM
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Paraná Banco
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual