Maringá, 19 de Novembro de 2018
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
19.06.2018
Os momentos mais vergonha alheia dos repórteres

Para levar a notícia até o público, a figura do repórter, muitas vezes, precisa passar por diversas situações. No entanto, nem sempre elas são das melhores, ainda mais em programas que são transmitidos ao vivo.

Em muitos casos a vergonha é inevitável e o repórter precisa dar um jeito de contornar a situação, mas nem sempre funciona e o fato constrangedor fica marcado. Pensando nisso, o iG Gente separou alguns momentos para lá de vergonhosos protagonizados por repórteres durante transmissão ao vivo; confira.

Recentemente a repórter Michelle Loreto, da Rede Globo , passou por uma situação para lá de chata com um pedestre durante uma transmissão ao vivo em São Paulo.

Enquanto falava sobre a menor procura por hotéis na cidade, por conta da Greve dos Caminhoneiros, a jornalista foi surpreendida por um homem, que passou em frente à câmera com a mão levantada e o dedo do meio a mostra. Logo, ela não se conteve e repreendeu a atitude: “Que feio, moço!”.

No final de abril, enquanto informava para o "SP1" as notícias sobre a pintura da fachada do Convento de São Francisco, tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), Jean Raupp, também da Globo, levou um grande susto.

Durante a passagem, transmitida diretamente do centro de São Paulo, o jornalista passou por apuros ao ouvir barulho de tiros próximo ao local que estava, que fez com que ele corresse do local junto com a equipe da emissora, assim, assustando também os telespectadores.

No começo de 2016 o jornalista Maycon Mendes cometeu uma gafe em tanto. Enquanto se despedia da transmissão ao vivo, comandada por José Luiz Datena na Band, o “Brasil Urgente”, o repórter errou feio e chamou o programa de “Balanço Geral”, atração da Record.

O equívoco não passou despercebido do apresentador, que fez questão de dar uma bronca: "Maycon, primeiro eu quero dizer que nós não estamos no \'Balanço Geral\'. Aqui é \'Brasil Urgente\'", disse Datena e logo o repórter pediu desculpas ao jornalista e ao telespectador.

A situação para lá de constrangedora, que aconteceu em 2014 na Globonews, entre a apresentadora Carla Lopes e a repórter Fernanda Galvão chegou a virar meme na internet.

Carla questionou Fernanda sobre a agenda dos candidatos à presidência da República, mas ouviu apenas o que Marina Silva havia realizado naquele dia. Assim que perguntou sobre os demais candidatos, ouviu da repórter a frase que viralizou na web naquela época: "Você não me avisou, amor!".

Surpresa com a frase de Fernanda, a apresentadora encerrou o link ao vivo demonstrando desconforto e afirmando que houve um problema.

Veruska Donato, repórter da Globo, conquistou a internet com a sua cobertura atrapalhada nos bastidores da primeira noite de desfiles das escolas de samba de São Paulo, no Carnaval de 2016.

Antes do desfile começar, Fernando Rocha, apresentador do "Bem Estar", estava na concentração ao lado de  Juliana Valcézia , na época bailarina do Faustão, foi entrevistado por Veruska, que deu as costas para a dançarina, que desfilou ao lado do apresentador no Sambódromo do Anhembi minutos depois.

A gafe foi corrigida por Chico Pinheiro, que alertou a repórter sobre a presença de Juliana ao lado de Rocha, mas Donato fez questão de afirmar que não conhecia todo mundo.

Quem disse que jornalista não erra no português está muito enganado. Em 2015, Ana Paula Campos cometeu uma gafe durante link para o telejornal "Bom dia São Paulo" e o erro não passou despercebido pelos telespectadores.

A repórter entrou ao vivo de São Bernardo do Campo para entrevistar pacientes que formavam filas desde a madrugada para realizarem exames na UBS (Unidade Básica de Saúde) de Ferrazópolis. No entanto, ao abordar um senhor que estava na fila pela terceira vez, a repórter deslizou no português ao dizer: "O posto não tinha nem abrido ainda, né?".

O repórter esportivo da Rede Globo, Tino Marcos também escorregou, mas não no português como Ana Paula Campos, e sim de um caminho.

Enquanto cobria a seleção brasileira durante a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, o jornalista decidiu subir em um caminhão e se juntar a alguns torcedores, que também estavam no automóvel acompanhando um treino, mas ele acabou desequilibrando e caindo.

Para piorar ainda mais a situação, que já era para lá de constrangedora, o repórter tentou se apoiar em um garotinho, mas os dois caíram juntos em cima de outras pessoas. Uma verdadeira trapalhada!

Como correspondente da Globonews nos Estados Unidos, Carolina Cimenti passou uma vergonha em tanto.

Em um link ao vivo para o “Jornal da GloboNews”, durante o segundo debate presidencial nos Estados Unidos em 2016, a emissora mostrava alguns trechos do momento em que Donald Trump falava, quando a câmera voltou para repórter, mas distraída não percebeu que estava no ar e falou um palavrão: “Put* que pariu”.

Para tentar contornar a situação, a apresentadora da atração justificou: “Acho que a Carol está sem o nosso retorno de áudio”. Que micão, né?!

Em link ao vivo, diretamente de Belo Horizonte (MG), para o “Jornal Hoje” em 2013, Liliana Junger ficou totalmente sem graça ao se perder com suas anotações e errar na passagem do texto.

Ao tentar informar sobre contratos suspeitos firmados com ONGS em Belo Horizonte, a profissional demonstrou nervosismo e “travou” durante a fala, foram cerca de 10 segundo em silêncio, ela até tentou procurar por anotações no caderno que estava em sua mão, mas sem sucesso.

Vendo a situação, Evaristo Costa, que estava no estúdio da emissora, tentou tranquilizar a repórter: "Ô Liliana, daqui a pouco a gente volta a se falar, quando você tiver todas as informações apuradas aí escritas, tá bom?". Depois da fala de Evaristo ela deve ter ficado muito aliviada, né?!

Pouco antes do jogo entre Liverpool e Tottenham no Anfield, na Inglaterra, no começo de 2017, a repórter Natalie Gedra, correspondente da ESPN na Europa, que estava fazendo uma cobertura do treino, levou uma bolada.

O mais engraçado é que no momento do ocorrido a jornalista afirmava que as equipes eram agressivas, e então foi “respondida” com uma bola perdida em sua cabeça. Sem graça, Natalie tentou amezinar a situação, reagiu com bom humor e justificou "Opa... acontece, gente. Estamos ao vivo para tentar escapar desse tipo de situação”.

E realmente a corresponde tem razão. Afinal, ao vivo tudo pode acontecer, e nem sempre os repórteres conseguem evitar o constrangimento, mas quando isso acontece eles sempre tentam dar um jeitinho para disfarçar, embora nem todos funcionem perfeitamente.


Foto - Reprodução

 
19.11.2018
Filhas saem em defesa de Silvio Santos
19.11.2018
Problema com ambulâncias no HU
19.11.2018
Festa Literária de Maringá começa quarta-feira
19.11.2018
SRM promove 10ª Agrocampo
19.11.2018
Hospital do Câncer precisa de doadores de sangue
19.11.2018
Prefeitura cobra do DER adequações para fechar cruzamentos
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Paraná Banco
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual