Maringá, 24 de Abril de 2019
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
02.10.2018
Palocci diz que houve desonestidade em toda a estrutura do PT
O juiz federal Sérgio Moro retirou nesta segunda-feira (1º), o sigilo de parte dos autos de delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci nas investigações da Operação Lava Jato.

No documento, de 12 páginas, datado de 13 de abril de 2018, Palocci afirma que as campanhas do PT em 2010 e 2014 custaram R$ 1,4 bilhão e teriam sido financiadas majoritariamente com recursos ilícitos.

Também detalha um processo de atuação não lícita por trás das negociações do governo, da Petrobras e do Congresso. "Houve desonestidade em toda a estrutura do PT e em todas as suas lideranças", afirmou.

O ex-ministro acrescenta ainda que, ao longo dos quatro governos do Partido dos Trabalhadores, houve negociações “corriqueiras” de emendas legislativas em troca de propinas. Ele estima que das mil medidas provisórias editadas, neste período, em pelo menos 900 teria havido o que chamou de “tradução de emendas exóticas em propina”.

Palocci detalha ainda a reunião, no início de 2010, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-presidente Dilma Rousseff, então ministra, e o então presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli.

Conforme ele, na conversa, Lula teria orientado Gabrielli a encomendar "a construção de 40 sondas para garantir o futuro político do país e do Partido dos Trabalhadores com a eleição de Dilma Rousseff, produzindo-se os navios para exploração do pré-sal e recursos para a campanha que se aproximava”. Antonio Palocci disse que, com a descoberta do pré-sal, "Lula passou a ter ideias mirabolantes".

Nomeações
Em outro trecho da delação, na página 6, o ex-ministro destaca que a nomeação de Jorge Zelada para a diretoria de Internacional da Petrobras foi resultado de um suposto acordo entre o MDB de Minas Gerais, comandado pelo deputado federal Fernando Diniz, já falecido, com apoio do presidente Michel Temer, então presidente do PMDB (hoje MDB); do ex-ministro Henrique Eduardo Alves e do ex-deputado federal Eduardo Cunha.

Segundo Palocci, na reunião foi promovida “a celebração de um contrato de SMS na área internacional com a Odebrecht”, estabelecendo uma “larga margem para propina”. De acordo com ele, o acordo previa cerca de 5% do valor total de US$ 800 milhões, o equivalente a US$ 40 milhões.O ex-ministro disse que os valores foram considerados tão elevados que, logo depois, o contrato foi reduzido de US$ 800 milhões para US$ 300 milhões.

Indicações na Petrobras
Segundo Pallocci, as notícias de que Paulo Roberto Costa, então diretor de Abastecimento da Petrobras, e Renato Duque, diretor de Serviços da estatal, "estavam envolvidos em diversos crimes no âmbito de sua diretorias" provocaram uma reunião, em fevereiro de 2007, entre Lula e Palocci no Palácio da Alvorada. De acordo com o ex-ministro, Lula indagou quem era o responsável pelas nomeações de ambos.
Palocci disse que respondeu que “ele [Lula] mesmo tinha indicado”.

O ex-ministro disse que era hábito do ex-presidente cobrar explicações sobre decisões que ele próprio havia determinado. “Era comum Lula, em ambientes restritos, reclamar e até esbravejar sobre assuntos ilícitos que chegavam a ele e que tinham ocorrido por sua decisão”, diz o relato. “A intenção de Lula era clara no sentido de testar os interlocutores sobre seu grau de conhecimento e o impacto de sua negativa”.

Palocci encerra este trecho da delação, na página 5, informando que, apesar de ciente das irregularidades e dos ilícitos, o ex-presidente não tomou providências para demitir os suspeitos de corrupção.

Anteriormente, no início da delação, Palocci havia informado que o governo petista não se preocupava e não se interessava em saber "do ganho pessoal" dos diretores da Petrobras, desde que "houvesse abastecimento financeiro dos partidos politicos".

Mensalão
O esquema do “mensalão”, apontado como o maior escândalo do governo Lula, começou a partir do rompimento do acordo entre PT e PTB, segundo Palocci. O ex-ministro disse que o “compromisso” de repassar R$ 20 milhões para o PTB não foi preservado. O PT pagou apenas R$ 4 milhões.

Na página 7 da delação, o ex-ministro diz: “A existência dos compromissos e a ausência do cumprimento integrais das avenças foi o principal motivo pelo qual se desencadeou o mensalão”. De acordo com ele, a corrupção “é baixa em partidos políticos” que nunca ocuparam a base governista.

Palocci é categórico ao afirmar sobre o que norteou as relações políticas no período investigado pela Lava Jato, envolvendo pagamentos de propinas e loteamento de cargos políticos para sustentação da base partidária no Congresso. “Os ilícitos permearam todas essas relações”.

Delação e prisão
Os depoimentos dados por Antonio Palocci à Polícia Federal (PF) estavam em segredo de Justiça, mas o juiz Sérgio Moro decidiu dar publicidade a alguns trechos por entender que não há risco às investigações da ação penal a que o ex-ministro responde na Operação Lava Jato.

O ex-ministro da Fazenda está preso desde setembro de 2016. Ele se coloca como executor dessa rede de propinas apenas no governo Lula, e nomeia outros petistas, como ex-ministros José Dirceu e Guido Mantega, além dos ex-tesoureiros Delúbio Soares, Paulo Ferreira e João Vaccari - todos já presos ou investigados pela Lava Jato - , como responsáveis por tratar de "doações de grande porte".

Palocci foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em um dos processos da operação.

O ex-ministro fechou os termos da delação com delegados responsáveis pelas investigações da Lava Jato após os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) rejeitarem o acordo. A decisão foi tomada após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que, nesta semana, validou autorização legal para que delegados das polícias Civil e Federal possam negociar delações premiadas, conforme previsto na Lei de Organizações Criminosas.

Outro lado
Segundo a defesa do ex-presidente Lula, o juiz Sérgio Moro juntou ao processo, por iniciativa própria, o depoimento prestado por Antonio Palocci na condição de delator "com o nítido objetivo de tentar causar efeitos políticos para Lula e seus aliados, até porque o próprio juiz reconhece que não poderá levar tal depoimento em consideração no julgamento da ação penal.

Soma-se a isso o fato de que a delação foi recusada pelo Ministério Público." A defesa alega ainda que a hipótese acusatória foi destruída pelas provas constituídas nos autos, inclusive por laudos periciais.

Para defesa de Lula, Palocci mentiu para obter benefícios que vão da redução de sua pena, com a possibilidade de “perdão judicial” - e da manutenção de parte substancial dos valores encontrados em suas contas bancárias.

Por meio de nota, o Partido dos Trabalhadores disse que não comenta "delações mentirosas, sem credibilidade e negociadas em troca de benefícios penais e financeiros".

O Palácio do Planalto infomou que "conforme esclarecido anteriormente, a indicação de Jorge Zelada foi do PMDB de Minas Gerais, e não houve participação do presidente na escolha do nome.

Agência Brasil
Foto - Agência Brasil
 
24.04.2019
Coluna do Verde
24.04.2019
Servidores da UEM vão paralisar atividades
24.04.2019
Tribunal Federal ordena Viapar reduzir pedágio em 19%
24.04.2019
Restaurante do Parque do Japão sem interessados
24.04.2019
Lavanderias de Maringá passam a ser fiscalizadas
24.04.2019
Preso por populares ao roubar jovem deficiente
24.04.2019
Hospital Universitário tem 30 dias para solucionar problemas
23.04.2019
Deputados devem mais de R$ 50 mi
23.04.2019
Semana do Turismo em Maringá
23.04.2019
Começou a segunda etapa de vacinação contra gripe
23.04.2019
Descartada paralisação dos caminhoneiros
23.04.2019
Mulher morre com um tiro sem ter nada a ver com a história
23.04.2019
Menos acidentes e mais mortes nas estradas do Paraná
22.04.2019
Coluna do Verde
22.04.2019
Corinthians é tricampeão paulista
22.04.2019
Flamengo vence o carioca
22.04.2019
Assaltante é baleado ao tentar fugir de cerco policial
22.04.2019
Quase 300 mortos em ataque terrorista no Sri Lanka
22.04.2019
Prova Rústica Tiradentes terá recorde de participantes
18.04.2019
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news
18.04.2019
Obras na Avenida Carlos Borges devem terminar em julho
18.04.2019
Deflagrada a Operação Semana Santa nas estradas federais
18.04.2019
Corpo fica quase 20 horas no IML de Maringá
17.04.2019
Abel tem missão de controlar vestiário
17.04.2019
Casos de sarampo têm aumento de 300% no mundo, diz OMS
17.04.2019
Ação da Sasc capacita voluntários para práticas assistenciais
17.04.2019
Motorista morre em choque frontal no Contorno Norte
16.04.2019
Reclamações de barulho reúnem entidades para traçar ações
16.04.2019
SRM abre contratação de temporários para a Expoingá
16.04.2019
Amusep e UEM definem projetos
16.04.2019
Denarc apreende meia tonelada de maconha
16.04.2019
Projetos itinerantes do Procon atendem centenas de consumidores
15.04.2019
GOT volta com tensão e Jon Snow pressionado
15.04.2018
Corinthians vai definir em casa
15.04.2019
Flamengo vence o Vasco
15.04.2019
Guaíra chocada com crime cometido por adolescente
15.04.2019
Semob inicia vistoria em taxis
12.04.2019
Encontro de Brechós e Jornada da Saúde
12.04.2019
Flamengo goleia San Jose
12.04.2019
Lei do Turismo faz alterações no atendimento de hotéis
12.04.2019
Tenente preso em Maringá é levado para Curitiba
12.04.2019
Câmara de Maringá analisa pedido de indenização
11.04.2019
Juíza proíbe retirada de radares das rodovias federais
11.04.2019
Palmeiras volta a marcar e vence
11.04.2019
PM desmonta fábrica de dinheiro falso em Sarandi
11.04.2019
Convênio entre prefeitura e pet shops vai ampliar doação de animais
10.04.2019
Caminhos possíveis para a última temporada de “Game of Thrones”
10.04.2019
Ônibus serão transferidos da antiga rodoviária
10.04.2019
Legislativo discute aeroporto de Maringá 100% público
10.04.2019
Validade da carteira de motorista pode passar para 10 anos
10.04.2019
Postos de saúde iniciam vacinação contra gripe
09.04.2019
Corinthians sofre, vence e chega à final
09.04.2019
Teatro Calil tem horário novo de visitação
09.04.2019
Palestras de conscientização marcam Abril Verde em Maringá
09.04.2019
Apenados vão pagar por tornozeleira eletrônica
09.04.2019
Morre homem esfaqueado por causa da namorada
08.04.2019
Dois tiros nas costas enquanto trabalhava
08.04.2019
São Paulo bate Palmeiras e volta à final
08.04.2019
Comissão no Senado acompanhará previdência
06.04.2019
Governo quer reduzir tempo de abertura e fechamento de empresas
06.04.2019
MP vai investigar licitação de decoração de Natal
06.04.2019
“Criança em Cena” está com inscrições abertas
06.04.2019
Identificado caminhoneiro que matou travesti
06.04.2019
Entidades oferecem pratos típicos na Festa da Canção
05.04.2019
Ouvidoria recebe denúncias diárias de maus-tratos a animais
05.04.2019
Maringá é destaque em serviços inteligentes
05.04.2019
Justiça do Paraná manda soltar Beto Richa
05.04.2019
Advogado que matou a namorada está preso
05.04.2019
Sem convênio, Colombo segue administrada pela PRF
04.04.2019
Vestibular de Inverno da UEM
04.04.2019
2,6 milhões de títulos de eleitores estão irregulares
04.04.2019
Flamengo perde para o Peñarol
04.04.2019
Saúde assina ordem de serviço para reforma da sede
04.04.2019
Advogado de Maringá mata a namorada em Camboriú
04.04.2019
Obras no Contorno Sul continuam com empresa contratada
03.04.2019
Senado deve votar Orçamento impositivo
03.04.2019
Projeto sugere ciclovias compartilhadas
03.04.2019
Saúde recebe 75 mil doses de vacina contra gripe
03.04.2019
Athlético-PR vence o Boca Juniors
02.04.2019
Abel Braga retorna ao Flamengo
02.04.2019
Alex Chaves será o novo líder do governo na Câmara
02.04.2019
Barroso diz que ameaças a ministros do STF são "inaceitáveis"
02.04.2019
Um morto e três feridos em perseguição policial
02.04.2019
Prefeitura entrega ambulâncias para Saúde
01.04.2019
Corinthians vence Santos
01.04.2019
Comissão investiga mau cheiro em linha férrea
01.04.2019
Moçambique registra 493 mortos por causa de Ciclone Idai
01.04.2019
PM apreende balas de fuzil em carro de locadora
01.04.2019
Semana de Conscientização do Autismo
29.03.2019
Higuaín se aposenta da seleção
29.03.2019
Delegado Marcelo Freitas será o relator da reforma da Previdência
29.03.2019
Cid Moreira será narrador da “Paixão de Cristo”
29.03.2019
Motorista joga caminhonete contra a polícia
29.03.2019
Prefeito de Maringá e chefe da Casa Civil reforçam parcerias
28.03.2019
Final de GOT pode dividir opiniões, diz Kit Harington
28.03.2019
Corinthians vai enfrentar o Santos
28.03.2019
Vacinação contra gripe começa dia 10 de abril
28.03.2019
Trump pede que russos deixem a Venezuela
28.03.2019
Morto por justiceiros no velório do homem que teria assassinado
28.03.2019
Avenida Colombo continuará sem fiscalização eletrônica
27.03.2019
Rafael Henzel morre de infarto
27.03.2019
Maringá tem saldo positivo na criação de empregos
27.03.2019
Abortados dois planos de massacre em escolas do Paraná
27.03.2019
Rapaz que matou estudante deve ser indiciado por homicídio qualificado
27.03.2019
Vereadores vão a Alep discutir tarifa mínima da Sanepar
26.03.2019
Corais da UEM abrem vagas
26.03.2019
Secretaria de Meio Ambiente tem novo diretor
26.03.2019
PF faz operação contra lavagem de dinheiro de droga
26.03.2019
Atirador tenta matar o pai e atinge o filho de 8 anos
26.03.2019
Prefeitura vai suspender contrato das obras no Contorno Sul
25.03.2019
Transporte Coletivo - Até onde vai a irresponsabilidade do Executivo?
25.03.2019
Gustagol salva o Corinthians
25.03.2019
Anatel inicia bloqueio de celulares irregulares
25.03.2019
Operação policial prende 8 envolvidos com o tráfico
25.03.2019
Bairros de Maringá começam a receber aplicação do fumacê
22.03.2019
Fusão de Disney e Fox deve resultar em demissões
22.03.2019
Temer fica preso em sala da PF no Rio
22.03.2019
Maringá confirma 10 novos casos de dengue
22.03.2019
Laboratório da UEM realiza inspeções em combustíveis
22.03.2019
Construção da pista de skate na Vila Olímpica é paralisada
22.03.2019
Mulher agride policial ao ser presa
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Avenida Store
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual