Maringá, 20 de Novembro de 2018
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
05.10.2018
Cruzeiro fora da Libertadores
O Cruzeiro massacrou, encurralou o Boca Juniors no Mineirão. Mas não conseguiu reverter a desvantagem de 2 a 0, conquistada pelos argentinos em Buenos Aires.

Apenas empatou em 1 a 1.

O árbitro uruguaio Andrés Cunha anulou um gol de Hernan Barcos e também voltou atrás em um pênalti em Arrascaeta, marcou impedimento. Acertou nas duas decisões.

Os mineiros perderam a classificação na absurda arbitragem na Bombonera. Quando Dedé foi expulso involuntário por um choque com o goleiro Andrada.

Quando o Cruzeiro estava melhor, perto de um eventual segundo gol, Dedé tomou o vermelho. Desta vez de maneira justa, por chutar Pavón. E atrapalhou o time de Mano Menezes.

O Cruzeiro vencia por 1 a 0, gol de Sassá. Mas, acabou sofrendo o empate aos 48 minutos, gol de Pavón, em falha de Léo, que estava sem a companhia de Dedé na zaga.

A semifinal da Libertadores terá dois confrontos entre argentinos e brasileiros.

Grêmio contra River Plate.

Palmeiras diante do Boca Juniors.

Vários jogadores do Cruzeiro deixaram o gramado chorando.

Entre eles, Thiago Neves.

"O choro do Thiago é o choro de todos nós. Decepção por não conseguir passar para a semifinal. O time jogou bem hoje. Nos doamos e entregamos ao máximo, mas não conseguimos. O torcedor está de parabéns. Temos que elogiar e dar parabéns. O sentimento é de decepção total", admitia Edílson.

Como o Cruzeiro foi prejudicado em Buenos Aires, as acusações contra a Conmebol vieram e pesadíssimas. Principalmente por parte do presidente Wagner Pires de Sá.

"Nós sabíamos que eles iam, de alguma maneira, expulsar o Dedé. Quando eles nos adoçaram a boca, eu mesmo assustei. A Conmebol proteger alguém do futebol brasileiro… Eles nunca fizeram isso. E olha que nós somos muito bem aceitos com nossos hermanos argentinos, com todo mundo.

"A vagabundagem que existe nesses caras é impressionante. Ou nós nos fortalecemos ou temos que sair de uma merda dessa. Todas as vezes o futebol brasileiro é roubado e ficamos tranquilos. Quando eles aceitaram o Dedé, nós comentamos: "Eles vão aprontar dentro do Mineirão".

Vocês viram a performance desse… F...-se quem é esse cara. Nem sei quem é, um vagabundo.

"Até o sobrenome é de ladrão", disse o dirigente, se referindo a Andrés Cunha.

"A impressão nossa é que o juiz brincou. Ele deu falta minha em um lance que eu nem encostei. Sabe o que ele falou pra mim? “Vocês perderam, vocês não fizeram para ganhar. Vocês são ruins, saíram da copa”. É vergonhosa a arbitragem. Ele falou: “A culpa foi minha?”. Eu falei: “Foi sua!”, acusou o lateral Egídio.

"Quando ficou definido que íamos enfrentar o Boca, sabíamos que seriam dois jogos grandes, difíceis pela qualidade do adversário, mas que também tínhamos condições de passar. Dois grandes, um vai passar, outro vai ficar. Gostaria que só o jogo dentro de campo determinasse a passagem, pois aí estaríamos aqui parabenizando o adversário, como sempre fizemos. Há de saber perder. Mas não foi o que vimos nos 180 minutos", criticou Mano Menezes.

A raiva dos cruzeirenses se aplica muito mais ao que aconteceu em Buenos Aires.

No Mineirão, o time teve a iniciativa, buscou pressionar o Boca Juniors desde o início da partida. Os argentinos estavam bem postados, principalmente no primeiro tempo. Conseguiram travar a iniciativa brasileira na sua intermediária lotada. Mano Menezes deveria ter sido mais ousado e tirado um dos dois volantes ainda na primeira etapa. Exagero manter Henrique e Lucas Silva.

No segundo tempo, os cruzeirenses tiveram mais consciência, utilizaram mais as triangulações pelas laterais e partiram com toda a disposição para tentar reverter a desvantagem de dois gols. Mano finalmente tirou Lucas Silva e colocou Sassá.

O atacante deu sorte e no primeiro toque na bola, depois de escanteio cobrado por Arrascaeta e desvio de Léo, Sassá chutou forte de esquerda, para as redes. Cruzeiro 1 a 0, aos 12 minutos.

O Cruzeiro pressionava, imprensava os argentinos, mas era precipitado nas finalizações. Os nervos estavam à flor da pele desde que o árbitro anulou gol de Barcos, depois de jogada perigosa, o famoso pé alto de Dedé. E de um impedimento que anulou pênalti em Arrascaeta.


A festa argentina que calou o Mineirão. Cruzeiro eliminado da Libertadores
Site Boca Juniors
Tudo desmoronou de vez, na expulsão infantil de Dedé. Ele acertou um chute desnecessário em Pavón, aos 35 minutos. Faltando dez minutos, o Cruzeiro já estava esgotado de tanto buscar o ataque. E em uma falha de Léo, depois de Ábila ajeitar com o peito, Pavón estufou as redes de Fábio, aos 48 minutos.

Era o fim de mais uma Libertadores para o Cruzeiro.

E o Boca será o adversário do Palmeiras na semifinal...

Foto - Reprodução
 
20.11.2018
Hospital Universitário precisa contratar 38 médicos
20.11.2018
Defesa Civil de Maringá eleita a melhor do Estado
20.11.2018
Moro coordenará grupo de combate à corrupção
20.11.2018
PRF registra 15 mortes na Operação República no Paraná
20.11.2018
Acidente na avenida Colombo faz mais uma vítima fatal
19.11.2018
Filhas saem em defesa de Silvio Santos
19.11.2018
Problema com ambulâncias no HU
19.11.2018
Festa Literária de Maringá começa quarta-feira
19.11.2018
SRM promove 10ª Agrocampo
19.11.2018
Hospital do Câncer precisa de doadores de sangue
19.11.2018
Prefeitura cobra do DER adequações para fechar cruzamentos
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Paraná Banco
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual