Destaques do Dia

Prefeitura proíbe corrida de rua e revolta atletas em Maringá

A prefeitura de Maringá negou autorização para a realização da prova de rua Paraná Running. A corrida iria acontecer hoje a noite na Avenida Horácio Racanello, mas a Secretaria de Mobilidade, que já havia autorizado o evento, mudou de ideia e decidiu negar o pedido.

A medida revoltou atletas, que passaram a criticar duramente a decisão da administração municipal, em postagem dos organizadores nas redes sociais.

A medida também foi duramente criticada pelo deputado estadual Homero Marchese (Pros). Em um vídeo publicado no Facebook, Marchese levantou dúvidas sobre a motivação para que o evento não tenha sido liberado.

O deputado suspeita de retaliação, pelo fato da empresa organizadora ser a proprietária de uma emissora de rádio, que realizou recentemente uma série de reportagens com críticas à administração municipal.

VEJA ABAIXO A NOTA EMITIDA PELOS ORGANIZADORES

Apesar de a organização ter buscado todos os caminhos legais para a realização da prova, pedidos foram indeferidos e a Etapa Pop não ocorrerá neste sábado (30), mesmo com a documentação em dia

Com mais de 1300 corredores inscritos em sua última etapa deste ano, a Paraná Running teve seu alvará negado pela Prefeitura Municipal de Maringá no fim da tarde de sexta-feira (29), véspera da prova. A administração alegou a falta de efetivo da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), por conta das festividades do Maringá Encantada.

O trajeto, no entanto, já havia sido aprovado pela Semob e a informação publicada no sistema de alvará online da prefeitura. Além disso, outras etapas da Paraná Running já ocorreram durante a programação do Maringá Encantada em anos anteriores. E mesmo com trajeto aprovado e com toda a documentação necessária para a realização da prova em vias públicas, o pedido foi indeferido pela prefeitura.

As empresas organizadoras da prova, GMC Eventos e VQV Eventos, propuseram extra-oficialmente, pois a prefeitura já estava fechada e não foi possível enviar um ofício, a contratação de mão de obra privada para dar suporte à equipe da Semob. No entanto, não houve diálogo com a prefeitura e as empresas entraram com um pedido de mandado de segurança, para conseguir judicialmente a autorização.

O juiz, por sua vez, entendeu que trata-se de uma questão administrativa e que não tem competência para decidir pela realização da prova. Por isso, a etapa Pop da Paraná Running não ocorrerá na noite deste sábado (30) e sim em uma nova data a ser definida.

As empresas responsáveis usaram de todos os caminhos legais para conseguir a autorização para realizar a prova. A organização lamenta a decisão, mas lei será respeitada e a prova não ocorrerá neste sábado.

Assim que a nova data for definida será informada nas redes sociais oficiais da Paraná Running.

Assessoria de imprensa GMC Eventos e VQV Eventos

Em nota, a Prefeitura disse que a empresa se precipitou em divulgar o evento sem antes cumprir os prazos legais.

 

Por: Pinga Fogo

PUBLICIDADES E PARCEIROS