Policial

Acusado de atropelar garçom na calçada se apresenta na 9ª SDP

O motorista foi acusado de atropelar propositadamente o garçom de uma lanchonete após se irritar com a informação do trabalhador de que estabelecimento fecharia às 22hs em obediência a um decreto municipal. Segundo versão da vítima, o homem ficou enfurecido com a informação, bateu boca com ele e antes de sair quebrou uma garrafa na calçada.

Foi quando varria os cacos da garrafa que o garçom foi atropelado na calçada pelo cliente que acabara de sair irritado. Mas ao se apresentar ontem na 9ª. Subdivisão Policial em companhia de um advogado, o suspeito apresentou uma versão completamente diferente. O professor de informática reconheceu que tinha atropelado o empregado da lanchonete, mas disse que o atropelamento foi involuntário, já que ele tinha se abaixado com o carro em movimento para pegar uma carteira que caíra embaixo do banco.

Ao delegado Diego Almeida, da Homicídios, o suspeito disse que não tinha intenção de atropelar o garçom. Mas o delegado vê indícios de crime: “Há indícios de que houve a intenção sim. Ao longo da investigação nós só precisamos apurar se foi com intenção de matar ou lesionar a vítima”.

Redação JP
Foto – Reprodução

PUBLICIDADES E PARCEIROS