Noticias Gerais

Coluna ADI

Praça da Matriz
A deputada Luísa Canziani (PTB) e a prefeita Adelita Parmezan (PTB), de Quatiguá, se reuniram com o ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo). “No encontro , saímos com o compromisso assumido de que a revitalização da praça da Igreja Matriz será viabilizada. Com o presidente do FNDE, Marcelo Ponte, conversamos sobre projetos e oportunidades para o município”, disse Luísa Canziani.

PSB indefinido
O PSB de Curitiba, em convenção remota, aprovou a chapa de 26 candidatos à vereadores com 10 mulheres. Mas a candidatura própria à prefeitura da capital paranaense segue indefinida. O deputado Luciano Ducci, ex-prefeito da cidade, se coloca como pré-candidato mas o PSB não descarta fazer alianças na disputa majoritária.

Sob nova direção
O ministro Dias Toffoli deixa na quinta-feira (10) a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). No seu lugar, assume o ministro Luiz Fux. O mandato é de dois anos.

Fichas Sujas
Lista entregue pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) mostra que o Paraná tem 1496 agentes públicos com contas julgadas irregulares. Da lista, são 492 prefeitos ou ex-prefeitos. A “lista de inelegíveis” serve de base para análise da Justiça Eleitoral para validação ou não de candidaturas às próximas eleições.

Avante Maringá
O Avante confirmou o advogado Rogério Calazans como candidato a prefeito de Maringá. A candidata a vice-prefeita será a psicóloga Luzinete Peder. Também foram definidos 23 candidatos a vereador pelo partido.

Toque de recolher
A prefeitura de Ponta Grossa renovou por mais uma semana o toque de recolher das 0h às 6h. Com o novo decreto, a medida foi estendida até o dia 11 de setembro. O toque de recolher está em vigor diariamente desde o dia 3 de julho, porém aos finais de semana já estava sendo adotado desde junho.

“Vem pra Rua”
Organizados pelo movimento “Vem pra Rua”, manifestantes se concentraram neste domingo (6) em frente à sede da Justiça Federal em Curitiba em apoio à manutenção da Operação da Lava Jato. O mesmo ocorreu em diversas cidades espalhadas pelo país, com o mote “Aras, inimigo da Lava Jato!” é o nome escolhido pelos manifestantes para o protesto.

Próximo prefeito
O deputado Delegado Francischini (PSL) analisou o último levantamento do Instituto Paraná Pesquisas sobre a intenção de votos à prefeitura e reafirma ter condições de ser o próximo prefeito de Curitiba. Francischini observa o grande percentual – 67% – de indecisos, ou seja, que ainda não sabem em quem votar. Diante deste cenário – não decidiram em quem votar e não sabem que Francischini é candidato – ele já teria 10% das intenções de voto contra Greca e Fruet.

De fora
O deputado Ney Leprevost (PSD) retirou a sua pré-candidatura a prefeito de Curitiba nas eleições de novembro. Em uma nota, Leprevost afirma que “o estado de anormalidade está demorando mais tempo do que imaginávamos para passar” e que as eleições serão “atípicas” e “pouco democráticas”.

Coeficiente
Sete cidades do Paraná ganharam e três perdem coeficiente no FPM com nova estimativa populacional do IBGE. Os dados constam de relatório preparado pela equipe técnica da CNM (Confederação Nacional de Municípios). Cidades paranaenses que ganharão coeficiente: Carambeí, Fazenda Rio Grande, Francisco Beltrão, Guaratuba, Quatro Barras, Tijucas do Sul e Toledo.

Coeficiente II
As cidades que de acordo com a CNM perderão coeficiente são: Catanduvas, São João do Ivaí e São João. Os prefeitos podem encaminhar ao IBGE as contestações referentes às estimativas até 16 de setembro.

Pós pandemia
O deputado Paulo Litro (PSDB) foi reconduzido à presidência da Comissão de Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa e destacou que dará continuidade ao trabalho de fortalecimento e debate para a construção de projetos que ajudem a alavancar o setor econômico do Paraná. Litro informou que a comissão irá realizar no dia 22 de setembro uma audiência pública por meio de videoconferência para debater os avanços necessários para a retomada da economia no estado pós-coronavírus.

Quem?
O advogado e pré-candidato a prefeito de Curitiba pelo MDB, Ogier Buchi, relembrou o incidente ocorrido em 2018. Trata-se da tentativa de assassinato contra o então presidente Jair Bolsonaro. “Há dois anos o presidente era covardemente esfaqueado por Adélio Bispo. Até hoje o Brasil não sabe quem mandou matar o Bolsonaro”. Ogier volta à questão, “quem tentou matar Bolsonaro?”.

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

PUBLICIDADES E PARCEIROS