Destaques do Dia Região

Polícia tem poucas dúvidas de que incêndio na garagem da Cidade Verde foi criminoso

A Polícia Civil de Sarandi encontrou um galão com resto de gasolina no local, o que reforça a tese de incêndio provocado . Seis ônibus foram destruidos

As chamas clarearam a madrugada do Jardim Castelo, onde fica a garagem da empresa Transporte Coletivo Cidade Verde, que opera as linhas Sarandi-Maringá. Os moradores do bairro acordaram assustados com o clarão e o barulho de estouros de pneus. Muita gente foi para a frente da garagem , levada pela curiosidade ou pelo temor de que as chamas atingissem casas próximas.

“Nós ouvimos o barulho por volta das duas da manhã. Era um barulho forte, parecia bomba que estavam soltando. Eu moro um pouquinho longe mas fiquei assustada”, disse Irani Leite, que correu para o local quando o incêndio já tinha tomado grandes proporções. Diogo Soares mora bem próximo e registrou as imagens das chamas em seu celular.
Segundo ele, “as explosões eram ensurdecedoras e chegavam a tremer as casas. Foi assustador”.

O incêndio atingiu seis ônibus , cinco dos quais estavam enfileirados e ficaram totalmente destruídos. Um sétimo, que não estava tão próximo dos demais, também foi atingido pelo fogo e ficou parcialmente destruído. Os bombeiros foram acionados e o incêndio só foi controlado por volta das 3h30. Ninguém ficou ferido, felizmente.

Investigações e suspeitas
O delegado Adriano Garcia iniciou imediatamente as investigações ante a suspeita de tratar-se de incêndio criminoso. Logo pela manhã chegou às suas mãos um galão vazio com resto de gasolina dentro. Os agentes da Polícia Civil visitaram vários postos de combustíveis, tentando levantar a identidade do comprador da gasolina.

“Os indícios de que foi um incêndio criminoso são muito fortes”, disse o delegado de Sarandi. Policiais da P2 e agentes da Polícia Civil de Maringá participam das investigações. As forças de segurança tentam localizar imagens de câmeras de segurança instaladas na garagem e nas proximidades, porque a partir delas poderá chegar mais rapidamente ao criminoso, ou criminosos.

A empresa não quis se manifestar por enquanto, mas estima que o prejuízo chega a R$ 2 milhões. Os ônibus queimados não tinham seguro, uma vez que os segurados são apenas os passageiros .

Redação JP
Foto – Reprodução

PUBLICIDADES E PARCEIROS