Coluna Francês Press Noticias Gerais

Francês Press

Entre o excesso de candidatos a prefeito de Maringá e a divisão em dois grupos – também pela Covid-19 – tivemos a estreia dos debates políticos promovidos pela Band local. Aliás, debate mesmo, atrito entre candidatos, nenhum. Questionado apenas Valdir Pignata, por ter assinado mais 20 anos para a criticada TCCC.

A tônica das apresentações e discussões de propostas de cada um dos seis candidatos para resolver problemas e avançar a cidade, foi o grande número de críticas para um ausente, o prefeito Ulisses Maia, escalado para outro grupo em outro programa no próximo dia 8.

Quem parecia animado, afinal é um médico em campanha no meio de uma pandemia mortal, panorama propício para ele, era o médico Dr. Batista, mais uma vez disputando a prefeitura. O deputado estadual Homero Marchese (Pros) mostrou que tem represadas críticas e denúncias fortes contra o prefeito. Não titubeia, não enrola e vai direto ao ponto: a administração atual é “cosmética”.

Outro adversário ferrenho, com críticas testemunhais – trabalhou com Ulisses – é o candidato Eliseu Fortes (Patriota). Disse que se fosse falar “tudo” precisaria de duas semanas de programa. Elenca os compromissos não cumpridos pelo prefeito e lacra: “Ulisses não cumpre sentado o que promete em pé!”

Evandro Oliveira (PSDB) abordou uma queixa de todos os maringaenses: a cidade está suja. Disse também que Ulisses Maia não fez nada novo, apenas completou projetos que herdou; que a atual gestão dificulta a abertura de empresas, loteamentos, etc. que poderiam gerar renda e empregos.

Outras críticas levantadas: Ulisses prometeu 10 creches no primeiro ano de sua administração e até agora não fez nenhuma; embora diga que a saúde financeira da prefeitura é “ótima”, está fazendo empréstimo e endividando futuras administrações, etc.

Críticas feitas nesse primeiro debate podem dar o tom ao segundo marcado para quinta-feira, dia 8. Nesse a vidraça (Ulisses- PSD) estará presente e também Rogério Calazans (Avante), Carlos Mariucci (PT), Professor Edmilson (PSol), José Luiz Bovo (Podemos) e Coronel Audilene (PP).

A previsão é de que Bovo e Calazans sejam críticos com números, queixas populares, erros estratégicos; que a Coronel Audilene seja comportada buscando atrair o eleitorado feminino; que Mariucci atue como escudeiro (um erro) de Ulisses; e que o Professor Edmilson seja uma metralhadora giratória. Pelo menos teremos embates para começar a formatar opiniões, exclusões e escolhas!

A Anvisa acompanha a corrida para fabricar vacinas contra a Covid-19 mantendo um pé atrás, estratégico. Caso os produtos não sejam eficientes, pretende liberar os que tenham até 50% de eficácia.

Geralmente a agência só aprova produtos com eficiência acima de 70%. Mas o coronavírus é mortal, pandêmico e qualquer avanço, mesmo que parcial, não deve ser desprezado.

O perigo nas estradas existe até para ambulâncias, paradas e muito bem sinalizadas. Na manhã de ontem na BR-369 entre Londrina e Ibiporã, caminhão atingiu uma viatura do Siate em que bombeiro atendia mulher retirada de um carro acidentado.

Se nada sofreu no primeiro acidente, atingida dentro da ambulância a mulher precisou ser internada. E também o bombeiro com uma perna quebrada. Segundo o marido dela “só não ocorreu uma tragédia por que o caminhão não colidiu com a ambulância em cheio”.

A CEF abre 37 agências no Paraná – em Maringá também – neste sábado, das 8h às 12h. Para atendimento aos beneficiários do Auxílio Emergencial e do Saque Emergencial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Os beneficiários nascidos em maio podem sacar o Auxílio Emergencial em dinheiro e os trabalhadores nascidos em junho também, valores referentes ao Saque Emergencial do FGTS. Não é preciso madrugar, todos os que procurarem a CEF serão atendidos.

PUBLICIDADES E PARCEIROS