Maringá

Em fuga, diversos animais são resgatados em Maringá

As equipes do Bem-Estar Animal da Secretaria de Meio Ambiente, do Corpo de Bombeiros, Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Polícia Ambiental estão atuando intensamente em Maringá para resgatar animais. Cada órgão é responsável por um tipo de atendimento; todavia, atuam em parcerias para garantir a segurança da população e o retorno desses bichos ao habitat natural.

Os moradores do município estão relatando constantemente o aparecimento de gambás, lagartos e saguis nas casas, estabelecimentos comerciais e garagens de prédios. Esses casos devem ser encaminhados para o IAP que direciona as equipes próprias e também repassa alguns procedimentos para a Polícia Ambiental; um trabalho em parceria.
O Capitão Luciano José Buski, comandante da 3ª Companhia do Batalhão Ambiental, explica que esses são animais sinantrópicos, aqueles que se adaptaram a viver junto ao homem, nesmo de forma forçada; porém com algumas ressalvas. São diferentes dos animais domésticos, os quais o homem cria e cuida com as finalidades de companhia, produção de alimentos ou transporte.

“O batalhão atua quando o IAP solicita ou em situação que o animal coloque em risco a pessoa, quando é o caso de cobra, onça, jaguatirica. Já em situações com sagui, macaco, gambas, lagartos, quem faz o resgate é o IAP. Esses bichos não estão aparecendo por conta das queimadas atualmente, mas o desmatamento e desequilíbrio ambiental. Além disso tem o crescimento urbano que os obriga a conviver cada vez mais perto dos humanos”, contou Buski.
Ainda segundo o capitão, são várias as orientações para as pessoas que recebem essas visitas indesejadas.

“Primeiro é não tocar no animal porque, por mais que não coloque em risco, pode estar com fome, desorientado ou ser uma fêmea com os filhotes por perto podendo atacar a pessoa. Segundo é não alimentar em hipótese alguma.; por fim, se estiver em garagem abrir a janela ou porta para que o animal saia. Não temos um número certo de ocorrências por dia ou em outros períodos, mas cresceram muito. Um serviço de orientação para a população é feito pelo telefone 24 horas (44) 3227-4356. Já o telefone do IAP é o (44) 3226-3665”, concluiu o comandante.

Quando as situações envolvem animais domesticados a competência é da Secretaria de Meio Ambiente, mas a Semana também atua em parceria com outras frentes. Esta semana, por exemplo, a Equipe do Bem-Estar Animal e o Corpo de Bombeiros resgataram um macaquinho que estava no centro da Cidade. Após o recolhimento, o animal foi transportado pelo serviço de emergência, recebeu cuidados e foi devolvido para a natureza. Quando existe a venda clandestina o batalhão da Polícia Militar Ambiental é acionado.

Redação JP
Foto – Reprodução

PUBLICIDADES E PARCEIROS