Esportes

Barboza salva o Brasil em noite trágica no UFC para os brasileiros

Em noite trágica para o Brasil, Edson Barboza “salvou a pátria” no UFC Fight Night 179, realizado neste sábado (10), na “ilha da luta”, em Abu Dhabi. Em ação no co-main event, Edson foi o único de cinco brasileiros a vencer, derrotando Makwan Amirkhani por decisão unânime dos jurados. Na luta principal, Cory Sandhagen bateu Marlon Moraes por nocaute técnico no segundo round e se aproxima do title shot no peso galo, que tem o russo Petr Yan como campeão.

Além de Marlon, os brasileiros Markus Maluko e Rodrigo Zé Colmeia, nocauteados, e Bruno Bulldoguinho, na decisão, foram superados por seus respectivos adversários. O grande destaque do evento ficou por conta do nocaute espetacular aplicado por Joaquin Buckley contra Impa Kasanganay.

Sandhagen surpreende Moraes
Na luta principal da noite, Marlon Moraes, primeiro no ranking peso-galo, e Cory Sandhagen, quarto colocado, fizeram um primeiro round movimentado, com o brasileiro levemente superior, em busca de encontrar a distância para acertar seus melhores golpes. Logo no início do segundo round, entretanto, o americano surpreendeu Marlon com um lindo chute rodado que pegou na cabeça do brasileiro. Restou para Cory desferir mais alguns socos até o árbitro encerrar a luta e os jurados decretarem seu triunfo por nocaute técnico. Em entrevista, o lutador pediu para enfrentar TJ Dillashaw ou Frankie Edgar.

Barboza domina e volta a vencer
O nocaute não veio, mas foram quatro knockdowns, uma exibição de gala e sua primeira vitória no peso pena. Assim terminou a noite de Edson Barboza, que derrotou Makwan Amirkhani por decisão unânime dos jurados no co-main event do UFC Fight Night 179 e voltou a vencer depois de três lutas.

O confronto foi um verdadeiro passeio do brasileiro, que quase sem tomar sustos, dominou do início ao fim e, em algumas oportunidades, chegou perto de finalizar o finlandês. Em entrevista ainda no octógono, Edson celebrou bastante o resultado e mandou um recado para o restante dos rivais na divisão dos penas: “Vim para ser campeão”.

Estreante derrota Markus Maluko
De volta ao octógono após quase um ano sem lutar, Markus Maluko até começou bem o duelo contra o estreante Drius du Plessis, controlando a distância e desferindo alguns golpes. Porém, no decorrer do primeiro round o sul-africano foi se encontrando e, com um cruzado certeiro na têmpora – aplicado na curta distância -, derrubou o brasileiro, completando o serviço no ground and pound.

O revés foi o segundo seguido de Maluko no peso médio do UFC, enquanto Dricus du Plessis aumentou seu recorde no MMA para 15 vitórias – a maioria por nocaute/finalização – e apenas dois resultados negativos.

Americano aplica ‘nocaute do ano’
Assim que começou a luta, Joaquin Buckley já mostrou a que veio diante de Impa Kasanganay, andando pra frente e soltando golpes potentes. Impa tentava responder, mas o assaltou terminou com Buckley melhor.

No retorno do segundo round, Kasanganay segurou um chute com a perna esquerda de Joaquin, mas não esperava que com perna a direita o peso-médio americano fosse acertar um chute rodado espetacular, em cheio no rosto de Impa, que já caiu nocauteado. Sem dúvida, um dos candidatos a melhor nocaute de 2020 – e da história do Ultimate.

Zé Colmeia leva nocaute em 45s
Invicto até então, com oito vitórias no cartel, o peso-pesado Rodrigo Zé Colmeia conheceu sua primeira derrota no MMA profissional. Em ação diante de Chris Daukaus na “ilha da luta”, o brasileiro recebeu um golpe de esquerda e balançou logo no início da disputa. Na sequência, Daukaus apenas completou o trabalho no ground and pound até a interrupção do árbitro, com 45 segundos de combate. Com o resultado, o norte-americano agora tem dois triunfos em duas aparições no Ultimate e cresce na categoria.

Russo supera Bruno Bulldoguinho
Abrindo a noite na “ilha da luta”, Tagir Ulanbekov e Bruno Bulldoguinho protagonizaram um bom combate para os fãs, pela divisão dos moscas. Vindo de duas derrotas e precisando vencer, o brasileiro teve um bom início, mas viu o russo crescer de produção a partir do segundo assalto.

Apesar de uma incrível resistência ao longo dos três rounds, Bulldoguinho assustou pouco, e no fim, os jurados decretaram triunfo de Tagir Ulanbekov por decisão unânime. Em situação delicada na organização, o brasileiro tem três derrotas seguidas. Do outro lado, Ulanbekov estreou com o pé direito no UFC.

Foto – Reprodução

PUBLICIDADES E PARCEIROS