Esportes

Cris Cyborg finaliza Arlene e mantém cinturão

{"subsource":"done_button","uid":"0F8575CF-3221-40BD-8647-1E2672F041B2_1602800613865","source":"other","origin":"gallery","source_sid":"0F8575CF-3221-40BD-8647-1E2672F041B2_1602800613880"}

O Brasil sorriu no Bellator 249. Na luta principal do evento realizado nesta quinta-feira (15), Connecticut (EUA), Cris Cyborg confirmou o favoritismo e de forma avassaladora contra Arlene Blencowe. A brasileira finalizou a australiana no segundo round e defendeu o cinturão do peso pena (65,8kg) da organização pela primeira vez.

Outro destaque do show foi a boa vitória de Leandro Higo, que mostrou toda sua qualidade na luta agarrada. O brasileiro finalizou o norte-americano Ricky Bandejas, promessa do peso galo (61,2kg), e o triunfo o coloca bem perto de disputar o cinturão da categoria.

Cyborg dá show e massacra Blencowe
A experiência de Arlene Blencowe no boxe não intimidou Cris Cyborg, Alternando socos e chutes, de forma mais paciente, a brasileira estava esperando a oportunidade perfeita para derrubar a adversária e mostrar sua superioridade no solo. Uma vez que a luta foi para baixo, Cyborg dominou. Aplicou uma sequência de cotoveladas e quase finalizou. Quando voltaram a ficar de pé, a brasileira apresentou sua conhecida agressividade e distribuiu socos e chutes em Blencowe junto a grade.

O segundo assalto começou mais movimentado e com Cyborg mostrando a agressividade que demonstrou no final do primeiro. Novamente, o plano era trocar um pouco em pé e derrubar. Só que, ao fazer isso, as investidas da brasileira se intensificaram. O castigo sofrido por Blencowe no solo era tanto, que ela não conseguiu resistir e desistiu após um justo estrangulamento.

Apesar da gloriosa carreira, essa foi a primeira vitória por finalização de Cris Cyborg que, agora, possui 23 vitórias em 25 lutas realizadas no MMA. A campeã do peso pena do Bellator mal chegou e já faz um estrago considerável na organização.

Se Patricky Freire não pôde lutar no Bellator 249, Leandro Higo representou a família ‘Pitbull’ muito bem no evento. O brasileiro não teve qualquer trabalho para superar Ricky Bandejas que, assim como ele, é um bom valor nos galos.

O primeiro round começou equilibrado, com os dois lutadores trocando golpes em pé, até o momento que Higo conseguiu se aproximar e derrubar Bandejas, mostrando que os treinos com Henry Cejudo, ex-campeão dos galos do UFC, surtiram efeito. A partir daí, o brasileiro foi superior. Aplicou golpes pesados e tentou finalizar o adversário duas vezes.

O início do segundo assalto seguiu o mesmo roteiro e Higo quase surpreendeu em pé mesmo, ao aplicar uma cotovelada giratória. No entanto, não há motivos para se lamentar. Mais corpulento que Bandejas, o brasileiro agarrou o adversário e o levou até o outro lado do ringue, aplicando uma queda plástica. No solo, Higo foi, novamente, superior e, dessa vez, definindo o combate com um estrangulamento.

Leandro Higo, de 31 anos, estreou no Bellator em 2017, disputou seis lutas pela organização, sendo três vitórias e três derrotas. O belo e importante triunfo na edição de número 249 foi o segundo consecutivo do brasileiro. Por outro lado, Rick Bandejas, de 28 anos, realizou sua terceira luta em 2020, porém, apesar de talentoso, a fase não é boa, já que essa foi a sua segunda derrota consecutiva, igualando o seu pior momento vivido na companhia, em 2019.

Mowry domina Teed
A luta entre os pesados Steve Mowry e Shawn Teed encerraria o card preliminar e foi alçada ao card principal devido ao cancelamento de Patricky Freire x Jeleel Willis e a mudança valeu a pena. Mowry aproveitou o momento de destaque e, simplesmente, não tomou conhecimento do adversário. Fazendo uso dos seus dois metros de altura, o lutador abusou do clinch de muay thai e acertou várias joelhadas no rosto do oponente. Teed, desconfortável com a diferença de tamanho, não teve resposta para impedir as investidas de seu opositor e sucumbiu ao final do primeiro round.

A boa vitória mostrou que Mowry não tem só tamanho. O norte-americano, de 28 anos, é jovem para o padrão dos pesados, está invicto e venceu as oito lutas que disputou no MMA pela via rápida, sendo três por nocaute e cinco por finalização.

Super Lutas
Foto – Bellator

PUBLICIDADES E PARCEIROS