Coluna Francês Press Noticias Gerais

Francês Press

Em comparação com a campanha municipal anterior quando pisaram á vontade no ex-prefeito Silvio Barros, a atual até que estava tranquila para o prefeito Ulisses Maia. Mas parece que já surge um primeiro caso para exploração pelos candidatos não aliados a ele.

É o caso do ex-secretário Vagner de Oliveira – muitas vezes de Vagner Mussio – que teria feito ameaças de cortar dedos e até de morte contra uma ex-funcionária. Ele está na mídia estadual por ameaças em mensagens de áudio e pelo WhatsApp que foram anexadas à denúncia.

A mulher estaria sendo acusada de subtrair um malote de dinheiro que estaria com o ex-secretário que toca a campanha de reeleição de Ulisses. Algumas frases atribuídas a ele: “não vou me prejudicar sozinho”, “vão me matar”, “você nem imagina de quem era”, “vai dar problema para todo mundo”.

De acordo com a rádio CBN, ainda não teria sido apurado o montante de dinheiro no malote, mas era quantia considerável senão, como ocorre em política, estaria na cueca. Também que Oliveira procurou “corrigir”, afirmando ser “economia de uma vida inteira”.

Aterrorizada pelas ameaças a ex-funcionária fez um boletim de ocorrência e pediu proteção da polícia e Justiça. Na denúncia frisou que o indivíduo marcou que quando cumprisse ameaças, nada aconteceria com ele. Mostrou preocupação inclusive com a filha, após esta ameaça: “vou ter por numa cova, vc e sua filha”.

Fosse a denúncia contra algum candidato da dita “direita”, sindicatos, associações, partidos e “coletivos” de mulheres estariam mobilizados, publicando notas de repúdio e de pedidos de providência contra o ex-secretário e contra seu candidato.

Mais um administrador público da região da Amusep flagrado por prática nada exemplar, ilegal, em pregão eletrônico de prefeitura. O prefeito de Mandaguari, Romualdo Batista, o “Batistão”, acaba de ser multado pelo Tribunal de Contas em R$ 3.205,80.

A permissividade de autoridades que dependem do voto é escandalosa em ano eleitoral. O centro de Maringá está tomado por ambulantes ilegais, maioria lesando os maringaenses com produtos de má qualidade, piratas ou contrabandeados.

Pior é que a falta de fiscalização atrai vendedores de quinquilharias de toda a região. Além de lesar consumidores eles atrapalham os comerciantes legais que heroicamente resistem à crise, pagam aluguéis caríssimos, impostos e ainda geram empregos.

Divulgada ontem à tarde uma pesquisa espontânea junto aos eleitores para avaliar preferências sobre o novo prefeito de Paranavaí. O atual prefeito, Delegado KIQ (PODE) está à frente com 43,3% das intenções de votos. De família política tradicional, distante em segundo lugar, Eduardo Dal-Prá (PDT) com 13,7%. Depois vem um petista, Cesar Alexandre (PT) com 3% das intenções de votos. Os indecisos somam 34,Os que não sabem somaram 34,6%, 5% não vão escolher e o restante citou nomes esparsos.

Na maior metrópole do país o prefeito tucano Bruno Covas lidera com 25,6% das intenções de voto. Fazendo jus à fama de “cavalo paraguaio”, Celso Russomano (Republicanos) que era tido como imbatível, está em segundo com 19,5%. Mesmo apoiado pelo politicamente anêmico Lula, Guilherme Boulos (PSOL) está na marca de 13,4%, sem chance de ir para o segundo turno.

Do capítulo “tomar ou não tomar a vacina contra a Covid-19” travada entre Bolsonaro e Dória, sem tocar na procedência (chinesa ou não), uma nova e diferente opinião, do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. Segundo ele as pessoas precisam tomar a vacina. Até por que quem não respeita as decisões que visam preservar a saúde e a vida dos brasileiros estaria cometendo uma transgressão grave, poderá ser um foco de disseminação de doença e morte.

PUBLICIDADES E PARCEIROS