Destaques do Dia

EUA: Vantagem pequena de Biden mantém indefinição

A person holds an "I voted" sticker as people vote in the U.S. presidential election on the first day of expanded California in-person voting, amid the global outbreak of the coronavirus disease (COVID-19), at Dodger Stadium sports venue in Los Angeles, California, U.S., October 30, 2020. REUTERS/Lucy Nicholson

Após três dias de apuração, as eleições dos EUA ainda não têm um vencedor na disputa presidencial. O democrata Joe Biden lidera em quatro estados decisivos — Arizona, Geórgia, Nevada e Pensilvânia —, mas com margens apertadas demais para ser declarado o vencedor.

Além disso, o presidente Donald Trump, que deve vencer no Alasca e na Carolina do Norte, prometeu “lutar até o fim” pela reeleição. Ele afirmou na noite de quinta que o processo eleitoral foi fraudado e não apresentou provas, mas o Partido Republicano entrou na Justiça para contestar ou parar a apuração em vários Estados.

Com 264 votos dos 270 necessários no Colégio Eleitoral, de acordo com projeções da agência Associated Press, Biden tem pequena vantagem contra Trump em Arizona, Geórgia, Nevada e Pensilvânia. Para chegar à vitória, ele tem de ser declarado vencedor na Pensilvânia ou em dois dos três outros Estados.

Na madrugada desta sexta-feira (6), Biden assumiu uma inesperada liderança na Geórgia, estado do sudeste norte-americano que historicamente elege republicanos. No momento, ele tem uma vantagem de pouco mais de 1,5 mil votos sobre Trump, com cerca de 99% de apuração.

Com isso, o governo estadual já prevê que haverá uma recontagem em um futuro próximo. O secretário de Estado, Brad Raffensperger, disse em coletiva que a lei da Geórgia permite que os votos sejam revisados caso a margem do vencedor seja de menos de 0,5% dos votos. Atualmente, ela está em 0,1%.

O trabalho da recontagem será feito depois que todos os votos forem totalizados. O estado também terá importantes decisões na eleição para o Senado. As duas vagas em disputa estão abertas e serão disputadas em um segundo turno no início de janeiro.

Pensilvânia, Arizona e Nevada
Outro estado onde o democrata conseguiu uma virada foi a Pensilvânia. Uma imensa quantidade de votos antecipados fez com que Biden, que perdia por mais de 500 mil votos no início da apuração, ultrapassasse Trump na manhã desta sexta. No fim da tarde, a vantagem dele era de pouco mais de 14,8 mil votos, com 96% das urnas apuradas.

O Estado com menor número de votos no Colégio, Nevada, está com 92% de urnas apuradas e Biden tem uma vantagem de pouco mais de 20 mil votos contra Trump. Em Clark, o condado onde fica Las Vegas, existem cerca de 63 mil cédulas ainda para serem contabilizadas.

Apesar de a agência de notícias AP considerar a projeção do Arizona com vitória para Biden, ainda há chances de Trump virar e vencer no estado, pois a vantagem do democrata sobre o republicano vem caindo lentamente, para cerca de 39 mil votos. Ainda há por volta de 250 mil cédulas a serem apuradas e o processo deve avançar pelo fim de semana.

Foto – Reprodução

PUBLICIDADES E PARCEIROS