Policial

Aviões usados pelo tráfico se deterioram no Aeroporto de Maringá

São duas aeronaves, usadas no tráfico de drogas e no transporte de mercadorias contrabandeadas do Paraguai para o Brasil.

Elas pertenciam a quadrilhas perigosas, foram apreendidas em operações da Polícia Federal e encontram-se estacionadas no Aeroporto de Maringá desde 2016. Os dois aviões estão no pátio de manobras, em frente aos hangares e misturados com outros, abandonados pelos donos.

A Polícia Federal não divulga detalhes das aeronaves, nem os modelos e nem os valores de cada uma delas. Mas estão sob guarda da PF e da Receita Federal desde 2016, quando foram apreendidas na Operação Celeno, responsável por desarticular uma organização criminosa que movimentou cerca de R$ 3 bilhões. Na ocasião, foram apreendidos 12 aviões em todo o Brasil. Dois estão em Maringá e um, que foi interceptado pela Força Aérea Brasileira, está parado no pátio da Delegacia de Paranavaí. Todos eles deverão ir a leilão no início do ano que vem.

De acordo com reportagem do portal GMC Online , existe um verdadeiro “cemitério” de aviões de pequeno porte no Aeroporto de Maringá . “São monomotores, aviões de médio porte e até jatinhos executivos de luxo, parados e se deteriorando com o tempo. Alguns, de empresários que quebraram durante a crise econômica financeira do Brasil e acabaram abandonando seus “brinquedinhos”, destaca a reportagem do GMC, que já tinha levantado a questão em fevereiro desse ano.

Redação JP
Foto – GMC

PUBLICIDADES E PARCEIROS