Maringá, 22 de Março de 2019
GLOBAL BENEFÍCIOS Black Bull Steak House
 
Untitled Document
16.10.2018
Mais de 75% dos partos da rede pública são cesáreas
De janeiro a setembro deste ano, a rede pública de saúde de Maringá realizou 3.801 partos. Do total, 2.945 (77%) foram cesarianas e 856 (22%) partos normais. Além disso, os dados da Secretaria de Saúde apontam que o mês que mais teve nascimento foi janeiro, com 470 partos (363 cesáreas e 107 partos normais). Esses procedimentos foram realizados no Hospital Universitário e Santa Casa, que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“As mulheres têm medo do parto normal, mas ele é bom para elas e para os bebês. O principal benefício é que a criança vai nascer a hora que ela tem que nascer e na cesárea corre o risco de nascer antes. Hoje, o grande índice de mortalidade infantil pode estar vinculado ao número grande de cesárias”, disse Lucineia da Silva Lucas, coordenadora da Saúde da Mulher.

A coordenadora informou que a rede pública se movimenta para estimular o parto normal, derrubando a cultura da cesariana entre a população. O município tem um comitê de estímulo ao parto normal e diversos outros trabalhos.

“No hospital em que a mulher vai ganhar o bebê, profissionais trabalham no convencimento. No pré-natal e grupos de gestantes isso também é transmitido”, contou Lucineia.

Em relação ao mesmo período do ano passado, Maringá também teve mais partos por cesariana. Foram 3.963 procedimentos, sendo 3.049 (76%) cesáreas e 913 (23%) partos normais.

MUNDO
A América Latina é a região com maior taxa de cesáreas do mundo, com 44,3% dos nascimentos. O Brasil é o segundo país que mais realiza esta cirurgia, segundo um estudo que alerta para uma \"epidemia\" mundial deste parto, que deve ser realizado apenas em casos específicos.
No País, 55% dos partos são cesáreas.

Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 15% a proporção recomendada. O estudo ainda constata uma ligação estreita entre as cirurgias e a faixa de renda e de educação das mulheres. A maioria das cesáreas acontece em gestações de baixo risco, 54,4% deste tipo de partos são feitos em mulheres de nível educacional elevado e 19,4% de nível mais baixo.

O número de nascimentos por cesárea no planeta praticamente duplicou em 15 anos, de 12% para 21% entre 2000 e 2015, e superou os 40% em 15 países. A estimativa é que entre 10% e 15% a proporção de cesáreas necessárias por motivos médicos. Porém, 60% dos 169 países estudados estão acima dessa faixa, e 25% abaixo, de acordo com o estudo baseado em dados da OMS e da Unicef.

Entre os 15 primeiros do ranking também se destacam os seguintes países latinos: Venezuela (52,4%), Chile (46%), Colômbia (45,9%), Paraguai (45,9%), Equador (45,5%), México (40,7%) e Cuba (40,4%).

Victor Cardoso
Foto - PMM
 
22.03.2019
Fusão de Disney e Fox deve resultar em demissões
22.03.2019
Temer fica preso em sala da PF no Rio
22.03.2019
Maringá confirma 10 novos casos de dengue
22.03.2019
Laboratório da UEM realiza inspeções em combustíveis
22.03.2019
Construção da pista de skate na Vila Olímpica é paralisada
22.03.2019
Mulher agride policial ao ser presa
Nipo Brasileiro Contabilidade
Asia Sushi Beer
SINCONFEMAR
Della Pizza
B1
Centro Comercial Tiradentes
Avenida Store
MAPA - Venda de Ônibus
Oliver Media
Garage Motors
OdontoAtual